Pênaltis, a aposta do Paraguai para nocautear o Brasil

O Brasil já sofreu diante dos 'guaranis' nas cobranças alternadas e, na quinta-feira, evitará que a história se repita

Catar surpreendeu em sua estreia na Copa AméricaCatar surpreendeu em sua estreia na Copa América - Foto: Pedro Ugarte/AFP

Sorte, ajuda divina ou qualidade na definição, os pênaltis são um mistério impossível de descifrar, a não ser que o Paraguai esteja envolvido. O Brasil já sofreu diante dos 'guaranis' nas cobranças alternadas e, na quinta-feira, evitará que a história se repita. Os paraguaios foram os algozes da Seleção nas últimas duas vezes que as duas equipes se enfrentaram nas quartas de final da Copa América, com os pênaltis definindo o vencedor.

Everton 'Cebolinha', destaque do Brasil na fase de grupos, alertou na terça-feira que, apesar de ter somado apenas dois pontos em sua chave, o Paraguai tem jogadores "de muita qualidade". "Eles eliminaram o Brasil algumas vezes na Copa América", lembrou o atacante do Grêmio, que jogará em casa em Porto Alegre. Mas, além das dificuldades que podem surgir, "estamos prontos" para passar de fase, afirmou o atacante da Seleção. Mas o Paraguai tem outros planos.

Nas quartas de final da Copa América disputada na Argentina em 2011, os brasileiros sucumbiram diante do forte bloqueio defensivo do Paraguai, que conseguiu chegar as cobranças alternadas de pênaltis após segurar um 0 a 0 com bola rolando.

Elano, André Santos e Fred sequer acertaram o gol em suas cobranças de pênalti e Thiago Silva mandou a bola nas mãos do goleiro Justo Villar, em partida no Estádio de La Plata que terminou com classificação paraguaia.

Nas semifinais, contra a Venezuela, o Paraguai somou outra vitória nos pênaltis. Mas, na final, deu de cara com um forte Uruguai, que venceu por 3 a 0, liderado pelo matador Diego Forlán.

Quatro anos depois dessa desastrosa atuação na Copa América da Argentina, a Seleção teve oportunidade de se vingar nas mesmas quartas de final contra o mesmo adversário. Com Villar novamente no gol, fora de campo o duelo foi entre os técnicos Dunga e o argentino Ramón Díaz, que comandava o Paraguai.

E mais uma vez os paraguaios levaram a melhor. Em cobranças de pênaltis emocionantes, com erros e acertos de ambos os lados, a série terminou com vitória guarani por 4x3. Derlis González foi o encarregado de cobrar a última e decisiva cobrança da partida, que havia terminado 1 a 1 após 90 minutos de jogo. O atacante, que hoje atua no Santos, tentará novamente ser o algoz do Brasil.

Os comandados de Tite, porém, chegam em boa forma para o duelo, com as energias reabastecidas após a grande atuação na última partida da fase de grupos, uma goleada por 5 a 0 sobre o Peru que trouxe o torcedor brasileiro de volta ao lado da Seleção. Agora, o Brasil tentará deixar as mazelas dos pênaltis de lado para enfim superar o Paraguai... de preferência no tempo regulamentar, para não desafiar a história.

Leia também:
Dinheiro, não futebol, justifica Qatar e Japão na Copa América
Copa América abre lote de ingressos, mas não cita quantidade

Veja também

Pacientes de Manaus chegam ao Hospital das Clínicas, da UFPE, neste sábado (23)
Coronavírus

Pacientes de Manaus chegam ao Hospital das Clínicas, da UFPE, neste sábado (23)

Milhares protestam contra prisão de opositor de Putin na Rússia
Protestos

Milhares protestam contra prisão de opositor de Putin na Rússia