Guerra na Ucrânia

Pentágono diz que 20 países se comprometem a mandar mais armas à Ucrânia

Grupo de Contato de Defesa da Ucrânia, com quase quarenta países, realizou eu segundo encontro, virtualmente, nesta segunda-feira (23)

 Secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin Secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin - Foto: Kenzo Tribouillard / AFP

Cerca de vinte países ofereceram novos pacotes de assistência em segurança para que a Ucrânia possa lutar contra a invasão russa, anunciou o secretário de Defesa americano, Lloyd Austin.

Quase quarenta países e organizações do Grupo de Contato de Defesa da Ucrânia realizaram seu segundo encontro, virtualmente, nesta segunda-feira (23), e 20 países se comprometeram a oferecer armas, munições e outros suprimentos para apoiar Kiev.

O ministro ucraniano de Defesa, Oleksiy Reznikov, informou o grupo sobre a situação atual da guerra que já dura três meses. 

"Hoje, junto com o ministro Reznikov e sua equipe, podemos ter uma noção mais clara e compartilhada das necessidades prioritárias da Ucrânia e da situação no campo de batalha", disse Austin.

"Muitos países estão doando munição de artilharia, sistemas de defesa costeira, tanques e outros blindados de muita necessidade", acrescentou. Outros estão oferecendo treinamento aos militares da Ucrânia. 

Segundo o secretário, a Dinamarca se comprometeu a enviar à Ucrânia sistemas de mísseis Harpoon e a República Tcheca ofereceu helicópteros de ataque, tanques e sistemas de foguetes

Mas o secretário não deu detalhes do novo pacote americano de 40 bilhões de dólares, em meio às especulações de que poderia incluir foguetes de alta precisão e longo alcance que poderiam ser utilizados para atacar o território russo.

Desde a primeira reunião do grupo em uma base americana na Alemanha há quatro semanas, disse Austin, "o ritmo de doações e envios tem sido extraordinário". 

Ele acrescentou que as necessidades da Ucrânia não mudaram muito desde a reunião anterior e que a guerra continua sendo conduzida por artilharia e apoiada por tanques, drones e outros equipamentos. 

"Todo mundo aqui entende o que está em jogo nesta guerra e isso se estende muito além da Europa", disse ele. 

"A agressão da Rússia é uma afronta à ordem internacional baseada em regras". 

Austin acrescentou que a próxima reunião do Grupo de Contato de Defesa da Ucrânia será presencial em 15 de junho, durante a reunião ministerial da Otan em Bruxelas.

Veja também

Alimentos úmidos: mais hidratação e nutrição na dieta de um pet
Folha Pet

Alimentos úmidos, como sachês e patês, fornecem mais hidratação e nutrição

Rússia quer conectar usina de Zaporizhzhia à Crimeia, diz operador ucraniano
Guerra

Rússia quer conectar usina de Zaporizhzhia à Crimeia, diz operador ucraniano