ITÁLIA

Pentecostes da Paz celebra a união e a renovação em evento carismático da Obra de Maria, na Itália

Foram dois dias de celebrações e orações em prol da paz mundial. Mensagens de solidariedade às vítimas das chuvas do Rio Grande do Sul também foram destacadas

Realizado na Itália no fim de semana, o Pentecostes da Paz reuniu cerca de 1.500 pessoas Realizado na Itália no fim de semana, o Pentecostes da Paz reuniu cerca de 1.500 pessoas  - Foto: Leusa Santos/Folha de Pernambuco

Domingo, 19 de maio de 2024. O Dia de Pentecostes, em que se celebra, para a comunidade cristã, a descida do Espírito Santo sobre os discípulos de Jesus Cristo, foi marcado por um apelo uníssono pela paz no mundo, na 12ª edição do Pentecostes da Paz, em Assis, na Itália. O evento, promovido pela Obra de Maria, reuniu, no sábado (18) e domingo (19), cerca de 1.500 pessoas de várias partes do mundo e foi transmitido pela TV Canção Nova. 

Originalmente, o evento estava programado para acontecer na Terra Santa, em Jerusalém, mas precisou ser transferido de local devido aos conflitos entre Israel e Hamas na Faixa de Gaza. A guerra, que começou em outubro do ano passado, já matou milhares de pessoas e põe o mundo em alerta. No sábado (18), a programação aconteceu na Igreja de São Francisco de Assis. Ontem, no Teatro Lirick, em Santa Maria dos Anjos, perto da cidade de Assis. 

O frei Gilson, líder religioso que possui um extenso trabalho de evangelização, com relevância também nas redes sociais, falou sobre a importância de se transformar dia a dia, vivenciando as lições de Jesus Cristo, fazendo a conexão com o significado do Pentecostes. “Pentecostes significa o espírito de Jesus permanecendo entre nós. Pentecostes é um evento de unidade, é um evento onde tudo o que o espírito tem, paz, alegria, amor e bondade, é derramado em nós”, disse, logo após a sua pregação, em que frisou a importância de se ajudar reciprocamente. “Imitar a Cristo é começar a se revestir de Cristo”, declarou.


Um testemunho 

Do outro lado do palco, estava uma plateia lotada, experienciando palavras, reflexões, que ressoavam em cada um de forma única e inesquecível. E inesquecível foi um momento de testemunho: o depoimento de Antonia Salzano, mãe do jovem beato Carlo Acutis, que morreu vítima de leucemia, aos 15 anos, em 12 de outubro de 2006, dia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Acutis, que ficou conhecido por fazer evangelização pela internet, foi beatificado pela Igreja Católica em 2020 após o Vaticano considerar como milagre a cura de uma criança no Mato Grosso do Sul, em 2010. 

Ao falar em como lida com a morte do filho, cujo corpo está em exposição permanente em Assis, na Igreja de Santa Maria Maior, Antonia lembrou da importância da fé. “Os filhos são de Deus. Não temam, quem tem medo da morte, não tem fé. Carlo disse que temos que temer o pecado e devemos viver cada dia como se fosse o último. Isso é vida. Se você tem medo da morte, deve se interrogar sobre isso. Não tem confiança em Deus?”, indagou ela.


Desafio cristão

O padre Fábio de Melo fez um paralelo entre o Antigo e Novo Testamento e a vida cotidiana. Segundo ele, é preciso se desvincular de antigas crenças e abraçar os ensinamentos de Cristo, afastando os sentimentos de egoísmo. “A verdadeira terra santa está em nós, eu não posso normalizar os meus ódios, eu não posso ser a favor do aborto e ser cristão, eu não posso ser a favor da pena de morte e ser cristão, nem sempre estamos prontos para o Novo Testamento”, disse ele, tocando em temas polêmicos e sendo bastante aplaudido pela plateia.

Segundo o padre, a construção individual acontece gradualmente e precisa de um trabalho de autoconhecimento. “Nós não somos da noite para o dia, nós somos uma construção. Às vezes você lida com a consequência do pecado porque não busca conhecer sua origem”, disse, arrematando: “ou eu odeio, ou eu sou cristão, os dois não dá”.  

  
Redes sociais

O padre Reginaldo Manzotti fez um alerta para o que chamou de “guerrilha” nas redes sociais, ao fazer uma análise do evento. “Nós estamos vindo de um período terrível, onde famílias brigaram, os políticos passaram, o ódio, a raiva e o rancor ficaram. Falei recentemente da Torre de Babel, que é o tema central dessa vigília de Pentecostes”, disse. 

As peregrinações carismáticas católicas são cada vez mais movimentos para jogar luz ao encontro com Deus, segundo o padre Manzotti, reforçando, na sua opinião, a importância das temáticas conciliadoras no mundo. “Deus no seu pensar, no seu querer, tem dado palavras-chave. E a palavra-chave deste ano é Paz. E como nós estamos precisando de paz”, constatou.

O Pentecostes da Paz reuniu os principais líderes religiosos no encerramento, em um show intitulado Celebração da Paz. Participaram a irmã Kelly Patrícia, os padres Reginaldo Manzotti, Fábio de Melo, e o frei Gilson. O fundador da Obra de Maria, Gilberto Barbosa, avaliou como um sucesso o evento religioso, que deixou muitos frutos. “Todas as pessoas que estão aqui já querem voltar novamente, nosso desejo é ir para Jerusalém, celebrar essa festa em Jerusalém. Foi um evento com cem por cento de sucesso, a mensagem foi alcançada e estamos todos muito satisfeitos”, avaliou Gilberto.

A comunidade “Eis aí tua mãe – Obra de Maria” é conhecida como Renovação Carismática Católica. Possui missionários em várias partes do mundo, que têm o objetivo de evangelizar a serviço da Igreja Católica. São mais de 4.200 voluntários que integram o trabalho, que está presente em 38 países. A sede da Obra de Maria é em São Lourenço da Mata, Região Metropolitana do Recife, Pernambuco.

Significado
O Pentecostes representa para os cristãos o dia em que os apóstolos de Jesus recebem o Espírito Santo, segundo a narrativa bíblica, em Atos dos Apóstolos. A palavra vem do grego “pentekoste”, que significa “quinquagésimo”. O Dia de Pentecostes ocorre justamente cinquenta dias após a Páscoa. 
 

Veja também

CFM pede que Anvisa reveja proibição do uso de fenol para médicos
BRASIL

CFM pede que Anvisa reveja proibição do uso de fenol para médicos

Lei ambiental gaúcha agrava futuros desastres, dizem especialistas
RIO GRANDE DO SUL

Lei ambiental gaúcha agrava futuros desastres, dizem especialistas

Newsletter