Candida auris

Pernambuco confirma 11º caso de Candida auris; paciente estava no Hospital da Restauração

Paciente mais recente é uma mulher de 37 anos

Fachada do Hospital da RestauraçãoFachada do Hospital da Restauração - Foto: Miva Filho/SES-PE

Mais um caso de Candida auris foi confirmado em Pernambuco pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). Com o novo registro, sobe para 11 o número de colonizados pelo superfungo no Estado somente este ano. 

O paciente mais recente é uma mulher de 37 anos, que deu entrada no Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, na área central do Recife. O caso foi confirmado na última sexta (7), mas divulgado pela pasta somente nesta terça-feira (11).

Esta é a primeira infecção notificada no RH este ano. Em 2022, a unidade de saúde confirmou dois casos, sendo um homem de 38 anos, e outro em uma mulher de 70 anos. Esta última morreu por causas não relacionadas a colonização pela Candida. 

Segundo a SES-PE, a mulher confirmada com o fungo na última semana seria submetida a um procedimento cirúrgico no HR, mas positivou para Covid-19 e foi isolada na unidade de saúde.

Posteriormente, depois de realizar o procedimento cirúrgico, a paciente ficou em uma enfermaria de dois leitos, onde teve contato com uma pessoa, que também está sendo monitorada. A mulher já recebeu alta médica da unidade de saúde.

Das 11 pessoas colonizadas com a Candida auris em Pernambuco, duas morreram: um idoso de 69 anos, que estava internado no Hospital do Tricentenário, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR), com infecção urinária; e um outro homem, de 63 anos, no Hospital Miguel Arraes, em Paulista, também na RMR, com problemas ortopédicos.

Segundo a SES-PE, a causa dos dois óbitos não está relacionada com a contaminação pelo superfungo.

Confira detalhes sobre os infectados pelo superfungo por ordem de confirmação dos casos:
Homem de 48 anos - Hospital Miguel Arraes
Homem de 77 anos - Hospital do Tricentenário
Homem de 66 anos - Hospital particular no Recife
Homem de 63 anos - Hospital Miguel Arraes
Mulher de 70 anos -  Hospital Miguel Arraes
Homem de 51 anos - Hospital do Tricentenário
Homem de 69 anos - Hospital do Tricentenário
Homem de 50 anos - Hospital do Tricentenário
Homem de 54 anos - Hospital do Tricentenário
Homem de 52 anos - Hospital Miguel Arraes, após passar pelo Hospital Getúlio Vargas
Mulher de 37 anos - Hospital da Restauração.

Reabertura de emergências
Foi liberado para novas admissões, nessa segunda-feira (10), o setor de emergência do Hospital Getúlio Vargas (HGV), no Recife, que estava fechado desde o último dia 4 de julho, após receber um paciente que positivou para o Candida.

Na ocasião, um homem de 52 anos deu entrada na unidade de saúde após sofrer um acidente de moto.

Posteriormente, o paciente foi transferido para o Hospital Miguel Arraes (HMA), em Paulista, na RMR. Desde então, o HGV havia pausado novos atendimentos no setor.

"A SES-PE lembra que o HGV não apresentou casos positivos até o momento e a medida de restrição foi necessária para reorganização de fluxos internos, monitoramento de possíveis contactantes do caso positivo para Candida auris e para intensificação dos procedimentos de limpeza e desinfecção ambiental, de superfícies e dispositivos médicos hospitalares", informou a pasta.

 Além do Hospital Getúlio Varga, a SES-PE também iniciou o desbloqueio gradativo dos leitos do setor de emergência do Hospital Miguel Arraes (HMA), que estava fechado desde o último dia 2 de junho, devido aos casos confirmados do superfungo na unidade de saúde.

Veja também

Cachorro mais alto do mundo é reconhecido pelo "Guinness"; veja altura e imagens
FOLHA PET

Cachorro mais alto do mundo é reconhecido pelo "Guinness"; veja altura e imagens

Deslizamento de terra deixa seis mortos em zona turística do Equador
Tragédia

Deslizamento de terra deixa seis mortos em zona turística do Equador

Newsletter