Investimento

Pernambuco é candidato a receber Escola de Sargentos do Exército

Abreu e Lima, no Grande Recife, disputa a instalação com dois municípios do Sul do País

Projeto visual do complexoProjeto visual do complexo - Foto: Divulgação

O governador Paulo Câmara assinou, nesta terça-feira (6), um termo de compromisso que prevê um investimento de R$ 323 milhões de Pernambuco para a instalação da nova Escola de Sargentos do Exército. 

Três municípios estão na disputa: Ponta Grossa (Paraná), Santa Maria (Rio Grande do Sul) e Abreu e Lima (Pernambuco). 

Caso venha para Pernambuco, o projeto representará um impacto significativo na economia local, contribuindo para o crescimento ordenado da Região Metropolitana do Recife, gerando empregos e desenvolvimento. Fora isso, representaria um ganho também a nível regional.

O coordenador do Grupo de Trabalho, General de Divisão Joarez Alves Pereira Júnior, está visitando o Estado para colher informações acerca do local indicado a receber o projeto para repassar ao ao Alto Comando do Exército, que será responsável pela escolha final. Esse grupo é composto por 16 generais e o Comandante do Exército. A decisão será anunciada até em agosto. 

A Escola de Sargentos de Carreira é uma instituição de ensino de nível superior, responsável pela formação e graduação de sargentos das armas de Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e Comunicações. Só o curso de formação conta com cerca de 1.200 alunos por ano, além do corpo docente e do apoio de 5.800 militares. 

O efetivo total, com as suas famílias, pode representar 10 mil pessoas vivendo em torno da escola. Cerca de 140 mil candidatos se inscrevem para a seleção do curso todos os anos. O projeto conta ainda com uma folha de pagamento estimada em R$ 100 milhões por ano.

O projeto de Pernambuco prevê a construção em uma área de 1.235.000 metros quadrados, ao sul do terreno do Campo de Instrução Marechal Newton Cavalcanti (CIMNC). 

A execução dele, incluindo processo licitatório, licenciamentos, projeto executivo e obras de construção, deve se entender por volta de 48 meses. 

Estima-se um investimento em torno de R$ 1 bilhão, fora os custos com a infraestrutura no entorno, que inclui a duplicação e asfaltamento dos acessos, o abastecimento de água, colocação da rede de esgoto, rede lógica e rede elétrica. Esse é um projeto do Comando do Exército, subordinado ao Ministério da Defesa.

O projeto para o espaço contempla, entre outras coisas, a escola, um parque de tiros, uma vila militar e uma vila olímpica, além do estacionamento, onde ficará o pátio de formaturas. Os complexos serão interligados, com três opções de acesso externo. 

Na área da escola, que ocupará 840 mil metros quadrados, além da parte administrativa, serão construídas as estruturas para o curso básico e núcleos para a formação de sargentos nas áreas Combatente, Logística Técnica, Aviação, Música e Saúde.  

Já a vila militar será erguida em um espaço de 145 mil metros quadrados, com 14 prédios para graduados, 10 prédios para oficiais com 24 apartamentos cada um, além da residência do comandante da escola e uma área de lazer completa. 

Na vila olímpica, de 140 mil metros quadrados, haverá um estádio, pista de circuito, ginásio e quadras poliesportivas, fora um pavilhão administrativo. 

Veja também

Príncipes Harry e William homenageiam seu avô, o falecido príncipe Philip
Família Real

Príncipes Harry e William homenageiam seu avô, o falecido príncipe Philip

Olimpíada de Língua Portuguesa recebe inscrições de estudantes da rede pública de ensino
Educa Mais

Olimpíada de Língua Portuguesa recebe inscrições de estudantes da rede pública de ensino