DENGUE

Pernambuco investiga mortes associadas à dengue registradas nas últimas semanas

Informação consta no Informe Epidemiológico de Arboviroses, com dados das Semanas Epidemiológicas (SE) de 1 a 5

Mosquito da dengueMosquito da dengue - Foto: James Gathany/CDC

Pernambuco investiga duas mortes associadas à infecção por dengue. A informação consta no Informe Epidemiológico de Arboviroses, com dados das Semanas Epidemiológicas (SE) de 1 a 5, que correspondem ao período de 31 de dezembro de 2023 a 3 de fevereiro deste ano.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), os óbitos ocorreram na SE 5. As vítimas fatais são:

- Um homem de 58 anos, que morava em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR). Ele tinha comorbidade e morreu no dia 5 de janeiro.

- Uma mulher de 74 anos, que residia na cidade de Abreu e Lima, também na RMR, que faleceu no último dia 2 de fevereiro. Ela também apresentava comorbidade.

Os dois casos aguardam diagnósticos laboratoriais e/ou histopatológicos, investigação e discussão para descarte ou confirmação de óbito por arbovirose.

A SES-PE disse ainda que outras mortes foram registradas após o fechamento do mais recente informe e também estão sendo investigadas. A pasta não informou quantos óbitos são.

Além disso, Pernambuco também contabiliza 783 casos prováveis de dengue. Do total, 82 já foram confirmados. Os demais estão sendo investigados pela SES-PE, que notificou dois casos graves.

Segundo o documento, o número de casos prováveis de dengue é 82,9% maior se comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram registrados 428 casos em investigação. A incidência é de 8,6 casos prováveis por 100 mil habitantes.

Dos atuais 783 casos prováveis de dengue, 65% são em pessoas pardas. Entre os homens, a faixa etária com mais registros é de 20 a 29 anos, seguida de 30 a 39 anos.

Já entre as mulheres, os casos prováveis também atingem em maior quantidade o grupo de 20 a 29 anos, porém seguido da faixa dos 15 aos 19 anos.

Chikungunya
O Informe Epidemiológico de Arboviroses também traz 233 casos prováveis de chikungunya, sendo 15 deles já confirmados pela SES-PE. O número de casos prováveis é 2,2% maior quando comparado a igual período do ano passado, quando foram contabilizados 228 registros.

Entre as mulheres com chikungunya, a incidência tem sido investigada em maior número no grupo com 20 a 29 anos. Já entre os homens, a faixa etária com maior incidência é dos 30 aos 39 anos.

Zika
O documento apresenta, ainda, nove casos prováveis de zika, todos eles em investigação. De acordo com a SES, um dos registros em análise é de uma gestante.

Entre o público masculino, há casos prováveis em três grupos: 0 a 4 anos, 20 a 29 e 30 a 39 anos. Já no grupo feminino, o destaque é a faixa de 20 a 29 anos.

Veja também

De homem ativo a um corpo "em estado caquético": quem era "Tio Paulo", levado para banco
Rio de Janeiro

De homem ativo a um corpo "em estado caquético": quem era "Tio Paulo", levado para banco

Apenas 22% do público-alvo se vacinou contra a gripe
dengue

Apenas 22% do público-alvo se vacinou contra a gripe

Newsletter