Notícias

Pernambuco pode ter surto de dengue a partir de março, alerta Ministério da Saúde

Segundo a pasta, outros 10 estados também precisam ter atenção à arbovirose

Mosquito Aedes aegyptiMosquito Aedes aegypti - Foto: Divulgação

Pernambuco, os outros oito estados do Nordeste, o Espírito Santo e o Rio de Janeiro poderão vivenciar um surto de dengue a partir de março de 2020. O alerta foi feito pelo Ministério da Saúde, que divulgou dados sobre a arbovirose no País no ano passado. Segundo a pasta, o Brasil registrou 1.544.987 casos de dengue em 2019, 488,3% de aumento em relação a 2018. O número de mortes confirmadas também subiu: de 201 para 782 - salto de 289%.

De acordo com os últimos dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE), 34 municípios estão em situação de risco de surto, 91 em situação de alerta e 54 em situação satisfatória. O Estado registrou 61.451 casos suspeitos de dengue em 2019, dos quais 20.448 já foram confirmados, assim como 12 mortes. Em relação a 2018, os dados representam um aumento de 170%.

Leia também:
Brasil registra em 2019 segundo maior número de mortes por dengue em 21 anos
Verão é propício para alta de casos de dengue, chikungunya e zika; veja como prevenir

Em nota, o Ministério da Saúde alertou que, como a dengue é uma doença sazonal, os estados precisam ficar atentos para a proliferação do mosquito Aedes aegypti durante o verão, período quente e chuvoso. “Embora a circulação da doença seja dinâmica, podendo mudar em pouco tempo, o Ministério da Saúde alerta, neste momento, todos os estados da região Nordeste e os estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro, no Sudeste, sobre o possível aumento de casos da doença em 2020", diz trecho da nota divulgada pela pasta.

O alerta é necessário, ainda segundo o Ministério da Saúde, porque, no fim de 2018, o tipo 2 do vírus da dengue voltou a circular no País depois de dez anos. Desde então, a população está suscetível à doença. "Cada pessoa pode ter os 4 sorotipos da doença, mas a infecção por um sorotipo gera imunidade permanente para ele. O sorotipo 2 que está circulando em algumas regiões do Brasil, tem um potencial de vírus maior de manifestação grave", esclarece outro trecho do comunicado.

Chikungunya
Em 2019, o Brasil registrou 132.205 casos de chikungunya, outra arbovirose transmitida pelo Aedes aegypti. O número representa um aumento de 52,3% em comparação com os dados de 2018, quando o ministério contabilizou 86.770 ocorrências. Em relação às mortes, houve aumento de 104,4%: de 45 em 2018 para 92 em 2019.

Em Pernambuco, foram 8.467 casos de chikungunya notificados em 2019, um aumento de 145,4% em relação a 2018. Uma pessoa morreu acometida da doença.

Zika
A zika, mais uma doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, registrou 10.708 casos no País ano passado. O total é 30% maior que o contabilizado em 2018, quando foram notificadas 8.219 ocorrências. As mortes apresentam queda de 50%: de 6 em 2018 para 3 em 2019. Já em Pernambuco, foram notificados 3.827 casos, aumento de 153,6% em relação a 2018. Nenhuma morte causada pela doença foi registrada.

Veja também

Ministério de Damares abre canal de denúncias para ouvir queixas de pessoas antivacinaDireitos Humanos

Ministério de Damares abre canal de denúncias para ouvir queixas de pessoas antivacina

Biden promete apoio à Ucrânia em telefonema com presidente da UcrâniaEUA e Ucrânia

Biden promete apoio à Ucrânia em telefonema com presidente da Ucrânia