Pernambuco se mantém como estado mais transparente nos dados da Covid-19

Pela terceira semana consecutiva, o Estado lidera pesquisa que identifica o teor das informações repassadas ao povo

Secretários de Saúde Jailson Corrêa e André LongoSecretários de Saúde Jailson Corrêa e André Longo - Foto: Reprodução

Pernambuco subiu mais três pontos e lidera pela quarta semana consecutiva a lista de estados mais transparentes em relação à divulgação de informações sobre a pandemia do novo coronavírus no Brasil.

O estudo é realizado semanalmente pela organização não-governamental Open Knowledge Internacional, também conhecida como Rede pelo Conhecimento Livre. No levantamento anterior, divulgado no dia 16 deste mês, Pernambuco obteve 95 pontos, índice considerado “alto”, o maior da escala.

Na atual pesquisa, o Estado subiu ainda mais em termos de transparência, passando para 98 pontos. A segunda colocação ficou com o Ceará (95) e a terceira com o Espírito Santo e Rondônia, ambos com 90 pontos. Goiás aparece na sequência, com 83, seguido do Distrito Federal, com 81. Os seis são os únicos classificados no padrão alto.

O Índice de Transparência da Covid-19 é uma iniciativa da Open Knowledge Brasil (OKBR) para avaliar a qualidade das informações relativas à pandemia publicados pela União e Estados em seus portais oficiais. O índice é formatado com base em um conjunto de dados essenciais e seus parâmetros de publicação.

“Quanto mais transparência atendendo a estes critérios, maior a contribuição ao trabalho dos órgãos públicos e ao envolvimento de outros setores da sociedade na construção de soluções conjuntas”, explica Fernanda Campagnucci, diretora-executiva da OKBR.

Leia também:
Brasil registra 3.313 mortes e 49.492 casos de Covid-19
Governador do Amazonas diz que pico de covid-19 deve acontecer em maio
Chegam ao Brasil 500 mil testes para diagnóstico da Covid-19
Coronavírus é tragédia inimaginável nos lares para idosos, diz OMS

Testes e leitos
A subnotificação de casos, debatida em todo o mundo desde o início da pandemia, é uma das principais preocupações da entidade, que aponta dois indicadores importantes para abordar o tema, ambos negligenciados pela maioria dos estados: a quantidade de testes disponíveis e a notificação de casos de outras doenças respiratórias, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e demais gripes.

“Saber a quantidade de testes disponíveis por estado e, se possível, por município, é fundamental para interpretar corretamente o número de casos confirmados em cada região e acompanhar essa política. Se um Estado tem mais capacidade de testar que outros, é natural que os números reflitam esse viés”, reforça Campagnucci.

Além de divulgar o número de exames processamos diariamente, outro fator que ajudou a impulsionar Pernambuco a atingir 98% de atendimento dos requisitos colocados pela OKBR foi a divulgação pública da taxa de ocupação de leitos dedicados ao enfrentamento da Covid-19.

Nesta quinta-feira (23), a ocupação média dos leitos chegou a 90%, sendo 97% de preenchimento das UTIs e 80% dos leitos de enfermaria.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Dificuldade de rastreamento afeta metade do arsenal de armas no Brasil
ARMAS

Dificuldade de rastreamento afeta metade do arsenal de armas no Brasil

Hyundai e Petz fazem parceria para incentivar adoção responsável de animais
Folha Pet

Hyundai e Petz fazem parceria para incentivar adoção responsável de animais