Pernambuco tem chance de receber presídio federal

Segundo o ministro Raul Jungmann, atual situação carcerária deixa Pernambuco próximo de receber uma das cinco unidades anunciadas pelo presidente Temer

Segundo o  secretário Pedro Eurico,  existe a necessidade de um espaço para presos de alta periculisidade Segundo o secretário Pedro Eurico, existe a necessidade de um espaço para presos de alta periculisidade  - Foto: Jedson Nobre

 

Pernambuco pode ganhar um presídio federal dentro de um ano. De acordo com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, a situação carcerária do Estado impulsiona que a construção de uma das cinco unidades prisionais anunciadas pelo presidente Temer como parte do Plano Nacional de Segurança Pública seja erguida em Pernambuco. O déficit de vagas chega a 20 mil, o segundo maior do Brasil, perdendo apenas para o Amazonas. Até agora, somente o Rio Grande do Sul teve a construção de um dos presídios anunciada. Assim, o Governo de Pernambuco tem a chance de pleitear um dos quatro restantes.

É o Secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado, Pedro Eurico, quem solicita formalmente a unidade. “Temos esse pleito específico. Pernambuco está no centro do Nordeste. E, na região, só há um presídio federal, em Mossoró. Então, temos a necessidade de um presídio federal para presos de alta periculosidade”, argumentou o secretário. Já há um local para a construção, não revelado por questões de segurança. Amanhã, o governador Paulo Câmara se reúne com o presidente Temer e reforça o pedido.

Além de Câmara, o ministro Raul Jungmann promete também trabalhar no sentido de tentar trazer o projeto de um dos presídios para Pernambuco. “Vou reforçar o pedido do Governo, mas a decisão final é do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. Particularmente, acho possível que essa construção aconteça por causa do grande déficit de vagas registrado no último anuário de Segurança Pública. O Estado está certo em solicitar esse presídio”, opinou o ministro.

As unidades custam entre R$ 40 milhões e R$ 45 milhões. São R$ 150 milhões para os polêmicos bloqueadores de celulares. A construção, estabelecida por Temer para terminar, no máximo, em janeiro do ano que vem, será feita por módulos. Quando pronta, terá alas que dividem os presos de acordo com a gravidade dos crimes. Para Pedro Eurico, a unidade seria um complemento para o planejamento atual. Há 6 mil vagas previstas para os próximos dois anos, com um aumento de 60% da capacidade total do Estado.

 

Veja também

Regulador europeu aprova vacina anticovid da Moderna para jovens de 12 a 17 anos
VACINA

Regulador europeu aprova vacina anticovid da Moderna para jovens de 12 a 17 anos

Museu da Língua Portuguesa usa 'todes' em post na internet e provoca polêmica
Internet

Museu da Língua Portuguesa usa 'todes' em post na internet e provoca polêmica