Academia Pernambucana de Letras Jurídicas empossa dois novos acadêmicos

O evento ocorreu na Escola Judicial de Pernambuco - Esmape. No total, são 50 acadêmicos que compõe as cadeiras da APLJ

Os empossados Mário Luiz Delgado e o Padre Pedro de Araújo LimaOs empossados Mário Luiz Delgado e o Padre Pedro de Araújo Lima - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Na noite desta sexta-feira (11), a Academia Pernambucana de Letras Jurídicas (APLJ) empossou dois novos acadêmicos na instituição. O professor e doutor Mário Luiz Delgado Régis, na cadeira 10, vai substituir o professor e Defensor Público Antônio Ernando Corrêa Novaes. Além dele, após a renúncia voluntária do desembargador Etério Ramos Galvão, houve a entrada do professor e padre católico Francisco Caetano Pereira, na cadeira 31.

Seus respectivos patronos são, Pedro de Araújo Lima - o marquês de Olinda - e o Frei Joaquim do Amor Divino Caneca.

O evento ocorreu na Escola Judicial de Pernambuco - Esmape, na avenida Desembargador Guerra Barreto, localizada em Joana Bezerra. No total, são 50 acadêmicos que compõe as cadeiras da APLJ.

Leia também:
Bairros do Recife terão ruas fechadas para estimular o lazer entre as crianças
MPT em Pernambuco tem nova procuradora-chefe


O padre que trabalha como professor há quase meio século, começou muito jovem dando aulas na área de letras, falou sobre a entrada como acadêmico na APLJ.

“Quero somar. Um momento emblemático como este nos torna mais comprometido com a obra, o trabalho, a publicação voltado para área jurídica. É um espaço privilegiado de aprendizagem e também de ensino. A importância da posse é unir esforços, sempre, na pesquisa da investigação para levar adiante esse labor jurídico voltado para justiça”.

O advogado Mário Luiz Delgado que voltou de São Paulo para ingressar na APLJ é professor há cerca de 20 anos. Para ele, o projeto é contribuir com a Academia.

“Quero contribuir com os eventos da APLJ, participar das reuniões e trazer um pouco da experiência como advogado e escritor em São Paulo aqui para os eventos da Academia em Pernambuco.”

Fundada em maio de 1976, pelos 16 principais juristas do Estado na época. O atual Presidente da APLJ, Luiz Andrade Oliveira falou sobre o trabalho da Instituição.

“Fazemos um trabalho que a gente incentiva aqueles que escrevem as letras jurídicas e as instituições jurídicas. Incentivamos que cada um, na sua área, atue e seja um testemunho. Hoje precisamos de gente que atue para preservar as instituições estatais que muitas vezes são desrespeitadas. Temos que fazer com que a constituição seja cumprida para o bem da sociedade”.

A Academia é uma casa científico-jurídico-cultural e tem como objetivo o estudo do Direito em todas as suas áreas, seja científica, para o sistema e produção de peças literárias no campo do Direito; jurídica, na formação e atuação dos profissionais e; cultural, para a promoção de eventos, palestras e artigos.

Veja também

Suspeitos de latrocínio e roubo no Sertão de Pernambuco são alvo de operação da polícia
Operação Tártaro

Suspeitos de latrocínio e roubo no Sertão de Pernambuco são alvo de operação da polícia

Mutações preocupantes do coronavírus já são maioria em Pernambuco, diz Fiocruz
Novas cepas

Mutações preocupantes do coronavírus já são maioria em Pernambuco, diz Fiocruz