Agências da ONU vão reforçar prevenção à violência no Estado

O objetivo é capacitar pessoal e qualificar informações sobre os territórios vulneráveis à violência no Estado. Paulista e Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, serão beneficiados

O governador Paulo Câmara assinou a parceria com as agências na manhã desta quarta-feiraO governador Paulo Câmara assinou a parceria com as agências na manhã desta quarta-feira - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Foi firmado na manhã desta quarta-feira (5), no Palácio do Campo das Princesas, no bairro de Santo Antônio, área central do Recife, o convênio entre o governo de Pernambuco e três agências internacionais vinculadas às Organizações das Nações Unidas (ONU), com o objetivo de capacitar pessoal e qualificar informações sobre os territórios vulneráveis à violência no Estado. Paulista e Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, serão beneficiados.

Com os dados, os parceiros internacionais - Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat); Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC); e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) -, pretendem desenvolver quatro eixos de ação para execução das propostas.

Leia também:
Violência entre torcidas volta à rotina
Novo episódio de violência acontece entre torcedores no Recife
Pernambucanos desenvolvem plataforma para combater violência contra a mulher


Haverá produção de material para o fortalecimento de iniciativas e práticas na área de prevenção social ao crime e à violência no estado de Pernambuco; desenvolvimento de metodologias de gestão de informações para formulação de políticas públicas testadas, com foco para os espaços públicos; criação de uma estratégia de formação para fortalecer a prevenção ao crime e à violência e a gestão eficiente e do conhecimento de todo o projeto. Além disso, todos os processos e resultados vão ser reunidos, sistematizados e as boas práticas de prevenção serão compartilhadas.

O projeto tem vigência prevista até julho de 2022 e todas as atividades serão realizadas usando metodologias e ferramentas das agências internacionais. Serão beneficiados não apenas as populações dos territórios priorizados no projeto, mas também as autoridades e os servidores responsáveis pelas políticas e programas, com impacto no atendimento ao povo pernambucano.

Segundo o Secretário de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas do Estado, Clóvis Benevides, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, autorizou ampliação de dez mil vagas de atendimento em oficinas de conexão socioculturais, além da contratação de uma equipe específica através de uma seleção que deve ser aberta nos próximos dias. 

“São 70 novos técnicos que vão atuar nessas comunidades com ações de conflitos e políticas de aproximação. Vamos ocupar espaços com capoeira, música, arte, cinema, fotografia e múltiplas linguagens para atrair os jovens. São as experiências do Compaz espalhadas em 74 territórios”, contou.

Ainda de acordo com o secretário, outras parcerias serão feitas para ampliar as ações do acordo firmado nesta quarta-feira. “O Instituto Igarapé, que é uma das maiores referências em segurança pública, e a Central Única das favelas, vão desenvolver uma série de projetos conosco no processo de ocupação social dos territórios”, afirmou.

Segundo Paulo Câmara, a parceria, que tem investimento inicial de R$ 3 milhões, vai ser iniciado na Região Metropolitana do Recife. “O que a gente quer implementar são condições para que a prevenção esteja presente com atividades que afastem qualquer tipo de contato da população com práticas de violência”, disse.

“Serão feitas oficinas e cursos de qualificação. Vamos envolver a questão da cidadania com instrumentos que possam agregar mais. Eu quero expandir essas parcerias para que elas possam chegar a todas as regiões de Pernambuco, principalmente as regiões mais vulneráveis à violência”, afirmou o governador Paulo Câmara.

De acordo com a coordenadora de Paz e Governança do PNUD, Noema Freire, serão fortalecidas as oficinas já existentes voltadas à cultura, esportes, lazer e educação, com o objetivo de atingir um número maior de pessoas com a ajuda de consultores especializados para cada frente de trabalho.

“Vamos iniciar de imediato o mapeamento de boas práticas nacionais e internacionais para trazer para Pernambuco. Também faremos a sistematização de políticas já desenvolvidas no Estado. Acreditamos que vai ter muito êxito. Temos a perspectiva de levar para fora do país às boas práticas daqui”, contou.

A representante da ONU-Habitat para o Brasil, Rayne Ferretti, contou que a agência trabalha com todas as políticas urbanas associadas à vida nas cidades, como urbanização, mudança do clima, juventude, segurança urbana e desenvolvimento econômico, e que esses temas serão intensificados no Estado.

“Buscamos traduzir as políticas públicas nos territórios, e Pernambuco tem se mostrado focado nas políticas da prevenção e vem obtendo resultados positivos na segurança.  Vamos trabalhar nos territórios priorizados com base nos indicadores”, afirmou Rayne Ferretti.

A aproximação para a assinatura do convênio ocorreu ao longo de 2019, após a Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas do Estado ter trocado ideias e estabelecido um diálogo com o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat). A extensão deste diálogo associado a interesses específicos aproximou a secretaria do escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Veja também

Jaboatão abre agendamento para vacinação contra a Covid-19 do público a partir de 45 anos
Vacina

Jaboatão abre agendamento para vacinação contra a Covid-19 do público a partir de 45 anos

Em 24 horas, Pernambuco registra 3.622 casos e 72 óbitos pela Covid-19
Pandemia

Em 24 horas, Pernambuco registra 3.622 casos e 72 óbitos pela Covid-19