Após agredir idoso em rua do Pina, ex-fisiculturista pede, na TV, compreensão

William José de Souza, de 62 anos, foi espancado na calçada da Rua Amazonas, onde prestava serviço de guardador de carros

Agressor de 35 anos, identificado como Bruno Alves, está foragido.Agressor de 35 anos, identificado como Bruno Alves, está foragido. - Foto: Reprodução/Internet

O ex-fisiculturista Bruno Nunes Elihimas, de 35 anos, deu uma entrevista ao programa Balanço Geral, da TV Clube, no início da tarde desta segunda feira (31). Ele falou sobre a agressão que cometeu contra o guardador de carros William José de Souza, 62 anos, que foi espancado violentamente no último sábado (29) e já está de alta em casa, em Brasília Teimosa, após ter perdido vários dentes e sofrido outras escoriações.

Bruno pediu compreensão à sociedade e admitiu que se excedeu. "Não sou assassino, não sou homicida, fui muito bem criado", alegou. Ele admitiu que está com medo de voltar a ser preso (apesar de se dizer inocente, foi condenado por receptação de produtos roubados) e afirmou que vem sofrendo diversas ameaças. "De ontem para hoje, foram mais de cinquenta", afirmou.

Leia também:
Homem agride idoso guardador de carros no bairro do Pina

O agressor relatou que tomou sua atitude após sua esposa ter sofrido ameaças do ex-marido (identificado na matéria como Carlos Zarzar) que a levaram a perder um bebê que estaria esperando. "Eu podia ter cobrado vida por vida. Ele perdeu um dente, mas meu filho morreu. Vou levar muito tempo para resgatar minha imagem. Olha a proporção que isso tomou em cima da minha dor", lamentou-se.

Segundo Bruno, William prestaria serviços para Carlos e os dois teriam intimidado tanto sua esposa, como a ele mesmo. "Sofri ameaças de morte, inclusive com armas. Não quero justificar o que fiz, mas se fosse você, o que faria?", perguntou ao repórter. Bruno disse que os dois teriam mantido sua esposa detida, sob coação, e a tensão teria feito com que sofresse um aborto. "O sonho de minha vida era ser pai, e eles destruíram. Eu não sou um monstro". Em nenhum momento, porém, ele apresentou qualquer laudo hospitalar, embora tenha sido inquirido a respeito.

William de Souza disse anteriormente conhecer Bruno apenas de vista, por circular no bairro do Pina, mas Bruno acusou-o de ser informante e cúmplice na violência doméstica cometida por Carlos Zarzar. Ele justificou que foi tomar satisfação do ocorrido, um dia após o aborto. O espancamento foi registrado por câmeras de segurança e viralizou na internet, causando indignação diante da idade de William e de seu porte físico franzino. "Eu sou apaixonado por idosos, não sou um marginal", argumentou Bruno. Questionado sobre se estaria arrependido da mesma forma, caso a agressão não tivesse sido filmada e alcançado a proporção que tomou, ele disse que sim. "Apenas por um único motivo, eu sou um cara cristão".

Veja também

Morre de câncer Léo, leão do Parque Estadual de Dois Irmãos
Luto

Morre de câncer Léo, leão do Parque Estadual de Dois Irmãos

Trecho da José de Alencar, Boa Vista: obras até este domingo (17)
CTTU

Trecho da José de Alencar, Boa Vista: obras até este domingo (17)