Campanha pede doações para cestas básicas

Luiz Carlos Filho, o conhecido Lulinha, empresário artístico, está usando o tempo da quarentena para fazer algo mais importante: garantir que famílias não passem fome

Cesta básicaCesta básica - Foto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco

Em meio a tantas notícias com demissões, falta de assistência social e quebra de quarentena, a solidariedade vem crescendo junto aos que se importam com a vida humana. Antes mesmo de serem iniciadas as soluções obrigatórias da gestão pública, campanhas para doação de cestas básicas de cunho pessoal estavam garantindo a alimentação para diversas famílias em Pernambuco. Luiz Carlos Filho, o conhecido Lulinha, empresário artístico, é um dos que usam o tempo do isolamento social para fazer algo importante: garantir que famílias não passem fome.

Onde não há divisão igualitária do mínimo para a sobrevivência, o povo age com solidariedade para que o próximo não passe por situações inumanas. “Eu já pratico ação social a minha vida inteira, principalmente no movimento Pró-Criança, aqui no Recife”, contou Lulinha. O empresário passou por um infarto no início do ano, durante o Carnaval. Por isso, a quarentena dele começou ainda antes do isolamento imposto pela pandemia. Contudo, mesmo impossibilitado de sair de casa, ele aproveitou sua rede de contatos para dar início a um grupo de distribuição de cestas básicas na cidade.

Leia também:
Covid-19: cientistas lançam campanha de doação de insumos para testes
Prazo para doação de produtos de combate a coronavírus é prorrogado

Em uma semana, usando suas redes sociais e distribuindo as informações de uma de suas contas pessoais no banco, Lulinha conseguiu contabilizar 5 toneladas de alimentos não perecíveis para doações. “Cedi minha conta, para doar R$ 50, que é mais ou menos o valor da cesta de alimentos. Em pouco tempo, já tivemos uma mobilização enorme de pessoas”, contou.

O empresário ainda se comprometeu a realizar uma live no Instagram, com artistas locais, para divulgar a ação “Música para quem tem fome”. “Essa está sendo a forma que encontrei para fazer algo neste momento, pelas pessoas. Estou fazendo tudo isso de dentro do quarto, em quarentena, infartado, tudo pelo celular”, explicou.

A conta que ele disponibilizou estava sem uso e o empresário se comprometeu a prestar contas, em seu Instagram (@luizcarlosfilho_lulinha), sobre as distribuições. “Independente do coronavírus ou não, eu queria que esse tipo de ação durasse o ano inteiro. Espero que, quando isso passar, as pessoas continuem a ressignificar sua vida”, contou Luiz.

Para doar:
Banco do Brasil
Agência 1838
Conta Corrente 50653-2
Luiz Carlos Coelho Neves Filho
CPF 007.813.334-31
Faça sua doação: R$ 50

Veja também

Jaboatão inicia agendamento para vacinação de pessoas a partir de 42 anos contra a Covid-19
Vacinação

Jaboatão abre agendamento para vacinação a partir de 42 anos contra a Covid-19

Pernambuco recebe novo lote com vacinas da Pfizer nesta quinta-feira (24)
Vacinas

Pernambuco recebe novo lote com vacinas da Pfizer nesta quinta-feira (24)