Clientes, funcionários e expositores reclamam do calor no Shopping Paço Alfândega

Com a chegada do verão, a cidade ficou mais quente e diversos recifenses e turistas costumavam recorrer ao espaço do shopping para realizar suas refeições, tomar um sorvete, passear pelas lojas e reduzir o calor

Sherly Vasconcelos teve que recorrer ao ventilador para driblar calor do Paço AlfândegaSherly Vasconcelos teve que recorrer ao ventilador para driblar calor do Paço Alfândega - Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Pessoas que transitam pelo Bairro do Recife têm sofrido com o calor excessivo dentro do Shopping Paço Alfândega nos últimos dias. Com a chegada do verão, a cidade ficou mais quente e diversos recifenses e turistas costumavam recorrer ao espaço do shopping para realizar suas refeições, tomar um sorvete, passear pelas lojas e reduzir o calor. Esta realidade já não é mais a mesma há alguns dias. "É desconfortável ficar num ambiente muito quente, você acaba transpirando mais", contou a estudante Ingrid Barbosa, que prefere ficar na parte de fora do shopping.

Pedro Cavalcanti, 23, contou que já não vai mais ao shopping, por conta do calor. "Além de ter menos tempo, recentemente tá um calor muito grande aqui. Eu vim do Marco Zero, por exemplo, e lá tem uma quantidade de vento muito forte, que dá uma sensação boa, refrescante. Daí quando você entra dentro do shopping tá um calor absurdo", comentou o estudante.

Leia também:
Bebidas para refrescar nesse calor
Ondas de calor matam pelo menos 1,5 mil na França

Expositoras e expositores das feiras sazonais do ambiente também sofrem os efeitos da falta de climatização adequada. Sherly Vasconcelos, 18, trabalha expondo produtos do Rio Grande do Sul com sua família. A situação obrigou a família gaúcha a comprar um ventilador para o estande. "Desde que chegamos aqui, na semana passada, está muito quente. A gente teve que comprar um ventilador para suportar trabalhar", explicou Sherly.

Um funcionário da administração do Shopping Paço Alfândega explicou que o ar-condicionado está funcionando, mas com a capacidade baixa devido aos problemas técnicos do aparelho. A demora, segundo o mesmo, se deve ao período de início de ano, quando as empresas estão com muitos funcionários em período de férias. A administração confirmou que está em fase de resolução dos problemas, que devem ser solucionados o mais rápido possível.

 

Veja também

Mesmo com o aumento das exportações, balança de Pernambuco continua deficitária
Fiepe

Mesmo com o aumento das exportações, balança de Pernambuco continua deficitária

Com um reforço de 100 veículos, Grande Recife amplia a frota de ônibus
Transporte

Com um reforço de 100 veículos, Grande Recife amplia a frota de ônibus