A-A+

Colisão entre dois trens do Metrô do Recife deixa feridos e paralisa a Linha Centro

Foram enviadas ao local dez ambulâncias do Samu

Colisão entre dois trens do Metrô Recife na Linha do CentroColisão entre dois trens do Metrô Recife na Linha do Centro - Foto: Cortesia/WhatsApp

Uma colisão entre dois trens do Metrô do Recife (Metrorec) ocorreu no início da manhã desta terça-feira (18) na capital pernambucana. O acidente foi por volta das 5h40 na Estação Ipiranga, no bairro de Afogados, na Zona Oeste do Recife. A batida deixou mais de 60 feridos. Por causa da batida, a Linha Centro do Metrô do Recife, que transporta  diariamente cerca de 240 mil passageiros, está sem funcionar, sem previsão de retorno. 

Os dois trens estavam com passageiros e na direção Jaboatão/Centro. O acidente ocorreu quando uma composição que estava estacionada - fazendo o embarque e desembarque - na estação Ipiranga foi atingida por outro trem. Segundo a Secretaria de Saúde (Sesau), 37 vítimas do acidente foram socorridas pelo Samu Metropolitano Recife. Já os profissionais do Corpo de Bombeiros avaliaram um total de 25 vítimas e socorreram 4 delas. 

Leia também:
'Foi um barulho muito alto e depois tinha gente sangrando', conta passageira sobre a colisão no metrô
Por causa de acidente no Metrô do Recife, nove linhas de ônibus são reforçadas

A estação está fechada, e somente agentes do Samu e do Corpo de Bombeiros tiveram acesso à plataforma de embarque para fazer o resgate das vítimas. De acordo com o gerente de Comunicação do Metrorec, Salvino Gomes, o sistema de frenagem do veículo evitou uma tragédia maior. "Graças a Deus, não houve vítima fatal", afirmou, informando que a maioria sofreu escoriações.  “Nossos maquinistas não sofreram danos graves. A maquinista que conduzia o trem vindo de Jaboatão ficou em estado de choque e foi levada para um posto de atendimento médico”, completou.

Segundo a CBTU, a colisão é a primeira entre dois trens do metrô em 35 anos de operação do serviço. “Temos um princípio de ‘falha segura’ que garante o funcionamento do sistema sem que aconteçam acidentes dessa magnitude”, afirmou.


Resgate de feridos após acidente entre dois trens no Metrô do Recife

Resgate de feridos após acidente entre dois trens no Metrô do Recife - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Segundo o diretor de Operações do Metrô do Recife, Murilo Cavalcanti, ainda não se sabe o motivo da colisão, e “a companhia deve se pronunciar assim que houver alguma conclusão”. Uma sindicância, de acordo com a Assessoria de Comunicação do Metrorec, será aberta para apurar as causas da colisão. "Vamos saber se foi uma falha do equipamento ou falha humana", afirmou Salvino Gomes.

De acordo com o perito criminal Haroldo Azevedo, as imagens do circuito de segurança da estação serão solicitadas e analisadas pela perícia. “A análise preliminar não permitiu que tivéssemos uma conclusão. É a primeira colisão desse tipo que acontece no sistema metroviário do Recife. Podemos apenas afirmar que o sistema de amortecimento funcionou e evitou uma situação mais grave”, afirmou Azevedo. O laudo elaborado pela perícia deve ficar pronto em até 15 dias.

Ainda segundo o porta-voz da companhia, não há previsão de normalização do metrô. “A prioridade é atender e dar apoio às vítimas. Estamos também tentando liberar o sistema e, paralelamente, conduzindo as investigações”. Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), as vítimas foram socorridas para sete unidades de saúde do Recife - 22 para as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá (11 pessoas), Imbiribeira (9) e Ibura (2); sete para o Hospital da Restauração (HR); duas para a Policlínica de Afogados; e duas para duas clínicas particulares.

Por volta das 9h, o HR emitiu balanço sobre o estado de saúde das vítimas internadas no hospital. Os sete passageiros levados para o hospital - três homens e quatro mulheres com idades entre 18 e 48 anos - foram encaminhados para a Unidade de Trauma e têm quadro clínico estável.

Em nota, a Companha Brasileira de Trens Urbanos lamenta o acidente e afirma que prestará a assistência necessária aos envolvidos."A CBTU lamenta o acidente ocorrido na data de hoje na Estação Ipiranga e se solidariza com os usuários. A empresa está acompanhando e prestará assistência a todos os envolvidos.Um Comitê de Crise foi instituído e a comissão interna de acidentes já está trabalhando na análise dos fatores que podem ter contribuído para tal ocorrência que é inédita. O Metrô do Recife possui sistema eletrônico de monitoramento que garante a segurança de tráfego, o que tem sido eficaz durante os 35 anos de operação."

Saiba o nome e o estado de algumas das vítimas do acidente:
- Aldileide Dias Santos, 51 anos, estável em observação
- Elisabeth Paula de Souza, 48 anos, estável em observação
- Gildo Carlos de Lira, idade não informada, estável em observação
- Lucas Cícero Santos da Silva, 18 anos, estável em observação
- Marcos Antonio Galdino da Silva, 43 anos, estável em observação
- Marivaldo Antonio do Nascimento, 19 anos, estável em observação
- Maria Cleide Eneotério no Nascimento Silva, idade não informada, estável em observação
- Maria José da Silva Santos, 39 anos, estável em observação
- Michele Morgan de Lima, 31 anos, estável em observação
- Sandra da Silva Alcântara Santos, 44 anos, estável em observação
- Shirlene Maria da Silva, idade não informada, estável em observação
- Williams Do Carmo Santana, idade não informada, estável em observação 

Veja também

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais
RECIFE

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais

Workshop Internacional trará de política de Prevenção ao crime e à violência de Pernambuco
Combate à violência

Workshop Internacional trará de política de Prevenção ao crime e à violência de Pernambuco