manutenção

Compesa troca fios de cobre por alumínio para combater furtos em unidades de abastecimento

Medida da Compesa visa desmotivar a ação de criminosos já que os fios de cobre têm alto valor comercial

Foram trocados 1.500 metros de fiações em TapacuráForam trocados 1.500 metros de fiações em Tapacurá - Foto: Compesa/Divulgação

Alvo frequente de furtos em unidades de abastecimento de água no Estado, a Compesa iniciou um projeto para substituição dos fios de cobre por fios de alumínio. Medida visa desmotivar essas ações criminosas, uma vez que o cobre vira alvo dos criminosos por conta do alto valor comercial, o que não ocorre com o alumínio.
 



A primeira unidade a ter a estrutura de energização substituída foi a Estação Elevatória Tapacurá, responsável pelo abastecimento de água da cidade de Vitória de Santo Antão, distante aproximadamente 50 quilômetros do Recife. 

Nos últimos doze meses, a estação foi furtada quatro vezes, deixando 70% da cidade sem água por um longo período, uma vez que não havia mais material no mercado para aquisição desse insumo.

Na elevatória de Tapacurá foram trocados 1.500 metros de fiações e agora a unidade funciona 100% com fios de alumínio. As fiações foram trocadas de motores, quadros de comando e subestações. A Compesa dispõe atualmente de mais 52,5 quilômetros desses cabeamentos para uso em outras unidades. Além do processo de aquisição desse material, inovador na empresa, a Compesa implantou a NTC 315 (Nota Técnica Compesa), que normatiza a utilização de cabos de alumínio nas unidades.

 

“A medida integra um conjunto de ações que estão sendo desenvolvidas pela Compesa para coibir essa prática que tanto prejudica a população, enquanto o desabastecimento é a principal consequência dos atos de vandalismo. Temos um objetivo muito claro de combater os furtos a partir de ações ostensivas e a substituição do cabeamento nas unidades é mais um passo importante.”

Alex Campos, presidente da Compesa

Os investimentos da Compesa no combate aos furtos também preveem o monitoramento remoto das unidades. A Companhia mantém em curso uma licitação de monitoramento de 200 unidades que vêm sendo alvo desses furtos.

Esse contrato consiste em câmeras que acionam alarmes e também possuem botão antipânico e alto-falantes, tudo isso para um monitorado 24h pelo Centro de Controle Operacional (CCO) da empresa.

Em paralelo às ações, a Compesa tem envidado esforços para combater os furtos em conjunto a Secretaria de Defesa social e a Polícia Civil para a definição de estratégias, como ações de campo e uso de inteligência no combate às quadrilhas organizadas.

A Companhia também aprovou recentemente uma política de segurança patrimonial que torna esse tema estratégico na empresa. Essa política trata desde os furtos de materiais que ocorrem nas unidades até furtos de água em grandes sistemas adutores.

Além disso, a Compesa aprovou a criação de uma Coordenação específica para tratar da questão de segurança patrimonial.

Veja também

Jovens realizam grafitagem em unidade da Compesa de Casa Amarela
CORES E CULTURA

Jovens realizam grafitagem em unidade da Compesa de Casa Amarela

Os ataques históricos à Igreja Católica Romana
ARTIGO

Os ataques históricos à Igreja Católica Romana

Newsletter