Falso comércio funcionava como laboratório de refino de cocaína em Ouro Preto

No local, polícia encontrou quase 23 kg de cocaína e 37 kg em produtos químicos

Laboratório de refino de cocaínaLaboratório de refino de cocaína - Foto: divulgação

Policiais militares da Companhia Independente de Policiamento com Cães encontraram um laboratório de refino de cocaína no bairro de Ouro Preto, em Olinda. No local, onde funcionava uma falsa estamparia, foram apreendidos quase 23 kg de cocaína e 37 kg em produtos químicos, que eram usados para falsificar a droga. Essas substâncias, que ainda não foram identificadas, eram injetadas na cocaína para que ganhasse mais volume e, assim, pudesse ser traficada com maior lucro.

A apreensão foi realizada na tarde dessa quinta-feira (13), e, pelo fato de a movimentação da droga ser feita através dos Correios, a Polícia Federal (PF) tomou à frente das investigações.

Leia também:
Cão ajuda em apreensão de 80 kg de maconha em Olinda
Cocaína apreendida em Petrolina e mais dois municípios iria para a Europa, diz PF


Segundo o chefe de Comunicação Social da PF, Giovani Santoro, o primeiro passo é identificar se a droga é realmente cocaína e, em uma análise mais profunda, descobrir quais são as substâncias químicas injetadas. É necessário também “identificar quem enviou a cocaína e se existe mais integrantes do laboratório no Estado".

Veja também

Pernambuco registra 1.391 novos casos e 56 óbitos por Covid-19, nas últimas 24 horas
Coronavírus

Pernambuco registra 1.391 novos casos e 56 óbitos por Covid-19, nas últimas 24 horas

Oito atletas desfalcam Santa por conta da Covid-19
Série C

Oito atletas desfalcam Santa por conta da Covid-19