Incêndio atinge galpão na Zona Norte do Recife

Três viaturas foram enviadas para combater o fogo e ninguém ficou ferido

Na manhã desta quarta-feira (7) foi possível ver a destruição após o incêndioNa manhã desta quarta-feira (7) foi possível ver a destruição após o incêndio - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Os moradores das casas que ficam próximas à antiga fabrica de macarrão viveram uma noite de tensão. Um incêndio de grandes proporções atingiu um galpão na rua Alegre, em Água Fria, na Zona Norte do Recife. Segundo o Corpo de Bombeiros, o acionamento para a ocorrência foi feito às 21h43 da terça-feira (6). As chamas foram controladas às 3h37 desta quarta-feira (7). Segundo a Defesa Civil do Recife, não há risco de desabamento.

Pela manhã, no entanto, ainda era possível ver fumaça no local. Três viaturas foram enviadas para combater o fogo e ninguém ficou ferido. Pela manhã desta quarta-feira (7), aproximadamente às 7h50, uma equipe do Corpo de Bombeiros foi enviada ao local para o rescaldo dos armazéns e evitar a reignição do fogo, além de conter pequenos focos de chamas restantes.

Por volta das 8h40, os bombeiros contiveram o restante das chamas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, os trabalhos realizados na manhã desta quarta-feira (7) foram “mais tranquilos”. Segundo o Sargento José, que trabalhou na contenção das chamas, “restavam poucos focos de incêndio. Só havia algumas chamas em madeiras e estruturas de alumínio”.

Após realizar vistoria no local, técnicos da Defesa Civil constataram que não há riscos de desabamento da estrutura; entretanto, o telhado foi comprometido e será necessária a remoção. Segundo o órgão, as casas vizinhas não correm riscos.

Leia também:
Incêndio destrói carros em oficina mecânica no Recife
Acidente com embarcação deixa duas turistas mortas em Alagoas


Os vizinhos do galpão ficaram assustados com o incêndio. Alberto Martins, 47, estava com a filha, que sofre de asma, e teve que tirar a família de casa. “Pensei que era algo queimando dentro de casa, quando procurei e não achei, saí no terraço e vi que as chamas estavam muito altas”, disse o comerciante.

Edvan José, 51, dormia no momento do incidente e foi acordado pela esposa, que o chamou para sair de casa. “Foi tudo muito rápido, alguns acham que eram fogos, outros pensavam que era barulho de chuva”, disse Edvan, que também disse que ficou “preocupado e assustado” com a situação de sua casa. No local, segundo relatos de moradores, funcionava uma fábrica de macarrão. Atualmente, o espaço era usado para guardar colchões.

Veja também

Afinal, quem tem asma faz parte do grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19? Entenda
Covid-19

Afinal, quem tem asma faz parte do grupo prioritário de vacinação? Entenda

Retomada da vacinação de grávidas e puérperas em Olinda foi marcada por conflito de informações
Vacina

Retomada da vacinação de grávidas e puérperas em Olinda foi marcada por conflito de informações