A-A+

Pandemia

Pesquisa aponta baixa carga de coronavírus nos esgotos do Recife; Brasília possui a maior taxa

EsgotoEsgoto - Foto: Compesa/Divulgação

A carga viral do novo coronavírus nos esgotos brasileiros têm sido acompanhada pela Rede de Monitoramento Covid Esgotos. De acordo com o último boletim da Rede, Recife, em Pernambuco, e Fortaleza, no Ceará, apresentaram as menores cargas do vírus em suas redes de esgoto no período de 22 de agosto último a 18 de setembro deste ano. No Brasil, o local com maior carga viral entre os locais pesquisados é Brasília, a capital do País.

O intuito da iniciativa é servir como base para determinação de políticas públicas de prevenção contra a Covid-19 e rastreio de locais com maior índice de contaminação. 

A pesquisa é realizada em Belo Horizonte/MG, Curitiba/PR, Rio de Janeiro/RJ e Brasília, além do Recife e Fortaleza.

Nessa versão do boletim, foram analisadas as semanas epidemiológicas 33 (de 15 a 21 de agosto), 34 (22 a 28 de agosto), 35 (29 de agosto a 4 de setembro) e 36 (5 a 11 de setembro) e 37 (12 a 18 de setembro). 

No Recife, na semana 36, a última divulgada pela pesquisa, foi registrada a carga viral de 1,3 bilhão de cópias por dia para cada 10 mil pessoas. Para se ter uma ideia, em Brasília, essa mesma semana registrou 963 bilhões de cópias do novo coronavírus por dia para cada 10 mil habitantes.

Nas semanas epidemiológicas 33, 34 , 35 e 36, a Rede registrou no Recife as respectivas cargas virais: 1,7 bilhões de cópias por dia para cada 10 mil pessoas; 0,6 bilhão; 0,6 bilhão; e 1,3 bilhão. 

Os maiores registros para a capital pernambucana em 2021 ficaram entre os meses de maio e junho, com cargas virais acima de 9 bilhões por dia para cada 10 mil pessoas. 

No Recife, foram acompanhadas estações de esgoto em Peixinhos, Mangueira, Cabanga, Várzea, Boa Viagem, Ibura e Água Fria. A última semana analisada registrou maior concentração viral em Boa Viagem, com 0,4 bilhão. 

Na capital cearense, o coronavírus não foi detectado nas semanas 34 e 37. Em Fortaleza, a carga viral da semana 36 foi de 1,63 bilhão de cópias do vírus por dia para cada 10 mil habitantes, e na semana 35, a carga detectada foi de 4,45 bilhões.

Em Curitiba, o período de 22/08 a 18/09 registrou medidas, por semana, de respectivamente 82, 72, 106 e 45 bilhões de cópias por dia para cada 10 mil habitantes.

No Rio de Janeiro, nas semanas epidemiológicas 34, 35, 36 e 37 a Rede Monitoramento Covid Esgotos registrou respectivamente a seguintes cargas virais: 1,88 trilhão de cópias por dia para cada 10 mil habitantes; 703 bilhões; 197 bilhões; e 646 bilhões.

Em Brasília, o aumento das cargas virais chegou a motivar a emissão de uma Nota de Alerta para a região. A capital federal registrou, nas semanas epidemiológicas analisadas, cargas de 442, 551 e 963 bilhões de cópias do novo coronavírus por dia para cada 10 mil habitantes nas oito estações de tratamento de esgotos (ETEs), que, juntas, atendem a cerca de 80% da população do Distrito Federal.

Pesquisa 

A Rede de Monitoramento Covid Esgotos é coordenada pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto (INCT ETEs Sustentáveis), pela Agência Nacional de Águas (ANA) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 

Em Pernambuco, o trabalho é realizado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em parceria com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e a BRK Ambiental. 

Nos outros estados e no Distrito Federal, a pesquisa é realizada pelas universidades federais em conjunto com as respectivas companhias de tratamento de esgoto e outras instituições. 

Veja também

Aos 83 anos, morre o arquiteto Ruy Ohtake, filho da artista Tomie Ohtake
Luto

Aos 83 anos, morre o arquiteto Ruy Ohtake, filho da artista Tomie Ohtake

Ensino a distância conquista adeptos e aumenta após fim de restrições
Educação

Ensino a distância conquista adeptos e aumenta após fim de restrições