Petrópolis aguarda notificação que proíbe uso de cavalos em charretes

As charretes fazem ponto junto ao Museu Imperial, no centro histórico da cidade serrana fluminense, e atraem muitos turistas

Petrópolis aguarda notificação que proíbe uso de cavalos em charretesPetrópolis aguarda notificação que proíbe uso de cavalos em charretes - Foto: Reprodução/Facebook

Em nota divulgada nesta segunda (8), a prefeitura de Petrópolis informou que está aguardando a notificação da Câmara Municipal referente ao resultado do plebiscito de ontem (7), que decidiu pelo fim da tração animal nas charretes, ou “vitórias”, como são conhecidos esses veículos. As charretes fazem ponto junto ao Museu Imperial, no centro histórico da cidade serrana fluminense, e atraem muitos turistas.

O plebiscito foi convocado pela Câmara, atendendo a uma proposta do vereador Reinaldo Meirelles. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou a preparação das urnas para a votação extra, que ocorreu no primeiro turno das eleições deste ano. O destino das charretes foi decidido pelos moradores de Petrópolis, após votarem para deputado estadual, deputado federal, senador, governador e presidente.

Leia também:
Fim das celas de gestação em criação animal só virá em 2026
Atos pedem fim do consumo de carne de cachorro na Coreia do Sul
Raposas seriam responsáveis pela morte de 400 gatos em Londres
Abelhas matam 18 cães que se assustaram com fogos após jogo
Cães adestrados ajudam estudantes com deficiências


Segundo a prefeitura, o legislativo municipal deverá indicar o desejo da população para a criação de regulamentação proibindo o uso da tração animal nas charretes. Atualmente, 13 charretes estão cadastradas na prefeitura e utilizam 39 cavalos, em escala de revezamento.

Em paralelo, a Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans), que responde pela autorização do uso das charretes, montará grupo de trabalho envolvendo órgãos municipais, Câmara de Vereadores e sociedade civil para efetuar a transição, diz a nota.

O presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais, da Ordem dos Advogados do Brasil/Regional Rio de Janeiro (OAB-RJ), Reynaldo Velloso, informou à Agência Brasil que os cavalos utilizados até agora nas charretes serão abrigados pela organização não governamental Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, onde serão tratados e terão atendimento veterinário.

Veja também

EUA supera as 400.000 mortes pela Covid-19
Pandemia

EUA supera as 400.000 mortes pela Covid-19

Com avanço de casos de Covid-19, oxigênio falta em cinco cidades do interior do Amazonas
Pandemia

Com avanço de casos de Covid-19, oxigênio falta em cinco cidades do interior do Amazonas