investigação

PF investiga esquema de corrupção bilionária no CE envolvendo juízes e advogados

O esquema de corrupção pode ter contado com a participação de juízes federais, advogados, empresários e servidores públicos

Mais de R$ 900 mil em espécie foram encontrados em São PauloMais de R$ 900 mil em espécie foram encontrados em São Paulo - Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) apreendeu mais de R$ 900 mil em espécie, nesta sexta-feira (20), durante a operação Skiagraphia, que investiga um esquema de corrupção bilionário no Ceará com a participação de juízes federais, advogados, empresários e servidores públicos.

De acordo com a PF, o Tribunal Regional Federal da 5ª Região expediu o cumprimento de 19 mandados de busca e apreensão nas cidades de Fortaleza (CE), Brasília (SP), São Paulo (SP), Recife (PE) e Dourados (MS). 

Noventa policiais federais estão nas ruas. Segundo O Globo, entre os alvos está o juiz Augustino Lima Chaves, que realizou, durante atuação no Ceará, pagamento de R$ 107 mil em espécie para um hospital, ostentando "ganhos incompatíveis com a sua remuneração". Chaves ocupa, atualmente, o cargo de auxiliar da Presidência do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Segundo a PF, em Pernambuco, um mandado de busca e apreensão foi cumprido num escritório de advocacia situado no bairro do Pina, na Zona Sul do Recife. A PF informou que nada foi arrecadado no local. Já em São Paulo, os agentes encontraram R$ 930 mil em espécie num escritório de advocacia. A suspeita é que a quantia seja de origem ilícita.

Ainda segundo a PF, as investigações tiveram início em 2019 após informações da Procuradoria da Fazenda Nacional apontarem indícios de participação de magistrados, advogados e empresários - devedores do Fisco Federal - em ações em curso na Justiça Federal entre os anos de 2012 a 2016 e que resultaram em prejuízo bilionário aos cofres da União.

Estão sendo investigados ilicitudes na condução de processos de execuções fiscais dos grandes devedores da União, vínculos suspeitos entre magistrados e advogados, fluxo financeiro suspeito e falsificação documental com simulação de intimações da União, ações que geraram prejuízo à Fazenda Nacional em benefício de empresários, informou à PF.

Caso as suspeitas se confirmem, os investigados poderão responder por crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. As penas podem chegar a 42 anos de prisão.
 

Veja também

Desabamento de ponte na China após fortes chuvas mata 11 pessoas
MUNDO

Desabamento de ponte na China após fortes chuvas mata 11 pessoas

Dia do Amigo: saiba como é amizade para cada signo do zodíaco
Amizade

Dia do Amigo: astróloga explica como é amizade para cada signo do zodíaco; confira

Newsletter