PF deflagra operação para conter tráfico de drogas pelas redes sociais

São cumpridos 10 mandados de prisão temporária e 10 mandados de busca e apreensão em cidades de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Sergipe e Minas Gerais.

PF deflagra operação para conter tráfico de drogas pelas redes sociaisPF deflagra operação para conter tráfico de drogas pelas redes sociais - Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (12) a Operação Dealer para desarticular uma organização criminosa que negociava drogas por meio de uma rede social. São cumpridos 10 mandados de prisão temporária e 10 mandados de busca e apreensão em cidades de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Sergipe e Minas Gerais.

As investigações indicam que o grupo responsável pelo mural atuava de forma organizada, com membros agindo com funções distintas, sujeitas a um comando centralizado.

Leia também:
Lava Jato está longe do fim, diz novo chefe da PF no Paraná
Operação da PF sobre Trump Hotel mira filho de ator e neto de ex-presidente brasileiro


Em 2018, começou o inquérito policial após a área de inteligência de a Polícia Federal identificar a atuação de um grupo que usava uma rede social para comercializar virtualmente drogas, como maconha, MDMA e LSD.

Os investigados serão indiciados pela prática de crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas, com penas de três anos a 15 anos de prisão e multa.

Os mandados foram expedidos, a pedido da PF, pela 4ª Vara Criminal Federal de São Paulo nas cidades paulistas de Indaiatuba, Casa Branca, Osvaldo Cruz, Bauru e Birigui. Também houve diligências em Aracaju, Florianópolis, Curitiba e Divinópolis (MG).

Veja também

Juíza federal dá 24h para União e AM apresentarem plano para oxigênio
Amazonas

Juíza federal dá 24h para União e AM apresentarem plano para oxigênio

Sem UTI aérea, ministério só vai transferir de Manaus pacientes de Covid em estado menos grave
Colapso em Manaus

Sem UTI aérea, ministério só vai transferir de Manaus pacientes de Covid em estado menos grave