Lava Jato

PF investiga desvios em programa voltado a portos e indústrias no CE

Operação Marquetagem cumpre 17 mandados de busca e apreensão

Polícia Federal em açãoPolícia Federal em ação - Foto: Yasuyoshi Chiba/ AFP

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (16) mais uma operação ligada à Lava Jato, por meio da qual investiga a liberação de créditos tributários em troca de vantagens indevidas ocorridas no âmbito do Programa de Incentivo às Atividades Portuárias e Industriais do Ceará (Proapi).


A pedido da Justiça Eleitoral de Fortaleza, a Operação Marquetagem cumpre 17 mandados de busca e apreensão nas cidades de Fortaleza, São Paulo e Salvador, com o objetivo de obter “elementos probatórios acerca das condutas potencialmente ilícitas de agentes políticos e empresários envolvidos na liberação de créditos tributários oriundos do Proapi, em troca do recebimento de vantagem indevida”, informou a PF.


Segundo os investigadores, trata-se de mais uma fase da Operação Lava Jato iniciada em 2018 com a colaboração premiada dos executivos ligados a um grupo empresarial. De acordo com a PF, o grupo teria movimentado cerca de R$ 25 milhões em pagamentos por meio da simulação de prestação de serviços publicitários e do uso de notas fiscais frias. Há, ainda, indícios de que os recursos tenham sido usados em doações oficiais nas campanhas eleitorais de 2010 e 2014.

Segundo a PF, os investigados poderão responder pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral, corrupção, lavagem de dinheiro e integrar organização criminosa.

Veja também

Psoríase: dermatologista alerta para tratamento da doença
Doença de pele

Psoríase: dermatologista alerta para tratamento da doença

Operação Ábdito da PF apura morte de indígenas em Roraima
Investigação

Operação Ábdito da PF apura morte de indígenas em Roraima