REUNIÃO

Plano para volta às aulas de redes municipais será discutido por secretários de Educação em SP

Estão entre os temas o alinhamento nos protocolos sanitários, as boas práticas e a articulação política na educação

Escola municipal do RecifeEscola municipal do Recife - Foto: Rodolfo Loepert/Prefeitura do Recife

Secretários municipais de Educação se reúnem, nesta quarta-feira (26), em São Paulo, para traçarem um plano sobre a retomada do ano letivo, que segue novamente em meio à pandemia de Covid-19. O encontro, a ser realizado presencialmente, contará com os secretários da área do Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Curitiba.

Estão entre os temas o alinhamento nos protocolos sanitários, as boas práticas e a articulação política na educação. Segundo o grupo, a mobilização acontece diante de uma articulação do Ministério da Educação sobre o calendário de volta às aulas com início previsto para as próximas semanas. Participam da reunião os secretários de Educação Fred Amancio, do Recife; Fernando Padula, de São Paulo;  Renan Ferreirinha, do Rio de Janeiro; Maria Silvia Bacila, de Curitiba; e Janaína Audino, de Porto Alegre.

"Não podemos achar que temos uma geração perdida e cruzar os braços. Pelo contrário, o papel da educação é não deixar ninguém pra trás. Estamos trabalhando para garantir o direito de todas nossas crianças estudarem, mesmo com as dificuldades trazidas pela pandemia. Para isso, essa troca de experiências é fundamental", disse Renan Ferreirinha.
 

A posição da Prefeitura do Rio, desde a reabertura das escolas para o ensino presencial no ano passado, tem sido de serem as primeiras a reabrir e a última a serem fechadas. A rede municipal de ensino mantém o ensino híbrido, com acesso a conteúdos remotos para casos excepcionais de crianças que ainda não podem voltar às salas de aula e para alunos que tiverem diagnóstico positivo para a Covid-19.

No último dia 13, as secretarias de Educação e de Saúde do município do Rio entregaram à Agência Nacional de Vigilância e Saúde (Anvisa) um documento pedindo a liberação dos autotestes para Covid-19. De acordo com o requerimento, os exames serão distribuídos na rede pública de saúde da capital e também para alunos e profissionais da rede municipal de ensino, numa forma de identificar casos e possibilitar estratégias para evitar ao máximo a volta do ensino remoto.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, destacou, em entrevista no último dia 13, que analisa constantemente o cenário epidemiológico e que existe um plano de contingência para professores e alunos que por ventura vierem a ser contaminados pela Covid-19.

— Estamos avaliando a situação epidemiológica semanalmente. Estamos com o plano de contingência. Se uma pessoa testar positivo, ela será afastada e seu entorno será afastado. A pessoa ficará em casa por sete dias e as aulas serão remotas. O ensino remoto continua de forma complementar — disse.

Veja também

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle
Família real

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid
Negacionismo

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid