Investigações

Polícia Civil deflagra Operação Lux e cumpre 24 mandados de busca e apreensão domiciliar na RMR

Cerca de 15 pessoas estão sendo investigadas pelos crimes de fraude em licitações, participação em organização criminosa e lavagem de dinheiro

Foram apreendidos celulares, documentos, e computadores que serão analisados pela delegaciaForam apreendidos celulares, documentos, e computadores que serão analisados pela delegacia - Foto: Divulgação/ PCPE

Cerca de 15 pessoas estão sendo investigadas pela Polícia Civil de Pernambuco pelos crimes de fraude em licitações, participação em organização criminosa e lavagem de dinheiro após a deflagração da “Operação Lux”, por intermédio do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Dracco), na manhã desta quarta-feira (15). Essa é a 31ª Operação de Repressão Qualificada realizada pela PCPE. 

A operação tem como objetivo identificar e desarticular uma organização criminosa voltada à prática dos crimes de fraude em licitação e lavagem de dinheiro em várias licitações da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf).

De acordo com a PCPE, em coletiva de imprensa, empresas de fachada concorriam entre si e uma das empresas da organização criminosa era a vencedora, dando a falsa impressão de concorrência às licitações, pois as empresas pertencem a um mesmo grupo econômico, comandado por um empresário. Cerca de 150 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, participaram da execução da operação

“No ano passado, recebemos uma informação da Chesf que eles haviam identificado um grupo de empresas ligado a uma empresa principal que estava fraudando licitações através do conluio. Eles faziam a simulação da concorrência para fraudar as licitações. Instauramos um inquérito e identificamos seis empresas ligadas a essa empresa principal", destacou o delegado Diego Pinheiro, presidente da Diretoria Integrada Especializada (Diresp) e titular da 2ª Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor).

"Essas seis empresas estavam localizadas apenas em dois endereços. Comprovamos a fraude em quatro licitações cuja os contratos somam mais de R$ 2 milhões e meio. A gente fez o cumprimento da busca, deixamos intimações, marcamos uma data e todos serão interrogados”, acrescentou o delegado. 

De acordo com a polícia, 24 mandados de busca e apreensão domiciliar foram cumpridos na manhã desta quarta (15), adicionando provas às investigações e verificandoc a possível participação de algum servidor da Chesf nas fraudes.

Os mandados foram cumpridos no Recife, Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes e Paulista, e foram apreendidos celulares, documentos e computadores, que serão analisados pela delegacia. 

A “Operação Lux” é supervisionada pela Chefia de Polícia Civil, vinculada à Diretoria Integrada Especializada (Diresp) e sob a Presidência do Delegado de Polícia, Diego Pinheiro, titular da 2ª Deccor. As investigações foram iniciadas em maio de 2021 e tiveram suporte e assessoramento da DINTEL/CIIDS e do Laboratório de Lavagem de Dinheiro – LAB/PCPE. 

Veja também

Trump diz que sua casa na Flórida foi alvo de buscas do FBI
EUA

Trump diz que sua casa na Flórida foi alvo de buscas do FBI

Cônsul alemão suspeito de matar o marido continua preso no Rio
Rio de Janeiro

Cônsul alemão suspeito de matar o marido continua preso no Rio