Polícia desarticula três organizações criminosas que agiam com extrema violência

Operação Novo Tempo foi deflagrada, na última quinta-feira (17), na Zona da Mata de Pernambuco

Operação foi desarticuladaOperação foi desarticulada - Foto: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco

A Polícia Civil apresentou, na manhã desta sexta-feira (18), a Operação Novo Tempo, deflagrada na última quinta (17), na Zona da Mata do Estado. A operação, liderada pelo titular da Delegacia de Polícia de Timbaúba, Rodolfo Cartaxo, resultou na detenção de 50 pessoas, todas suspeitas de integrar três organizações criminosas que agiam na cidade de Timbaúba e áreas circunvizinhas.

Essas organizações atuavam principalmente na prática de homicídios, roubos e tráfico de drogas armas e munição.  Foram identificados três núcleos criminosos. O primeiro, denominado “Alto Santa Terezinha”, tinha como líder Fabiano Pereira de Souza, o Coroa, que comandava as ações do Recife, onde residia. Ele foi preso durante a deflagração da operação.

O segundo grupo foi batizado de “Santiago”, a maior das três organizações, e era encabeçado por Ronaldo Nascimento Silva, que comandava de dentro do presídio de Limoeiro. O líder do terceiro núcleo, “Cruzeiro”, não teve o nome revelado e está foragido, assim como outras seis pessoas do mesmo grupo. A polícia continua as diligências atrás de mais sete integrantes do Santiago e mais um do núcleo Santa Terezinha.

“Os membros das organizações planejavam os crimes com extrema violência”, revela o Delegado Rodolfo Cartaxo. “Havia planejamento de tortura contra as vítimas, para que elas mostrassem onde estavam os valores dentro de casa”. Entre as técnicas de tortura estavam cortar dedos e órgãos genitais das vítimas e agredir familiares dos alvos, principalmente crianças e adolescentes.

Durante as investigações, a polícia conseguiu se antecipar e evitar cinco homicídios e sete assaltos a estabelecimentos comerciais nas áreas de atuação dos criminosos. A polícia também atribui que, dentro do período de um ano, essas organizações foram responsáveis por 22 homicídios na região de Timbaúba.

Entre as apreensões da operação, foram contabilizadas 22 armas e 147 munições, além de drogas entorpecentes e material para refino, contando com 891 pedras pequenas e 16 pedras maiores de crack, 25 quilos de maconha, 150 papelotes e 115 big bigs e mais de 400 gramas de pasta base de cocaína. Ainda foram encontrados mais de R$ 7,2 mil e 8 motos.

Durante 8 meses de investigação, foram movidos 120 policiais civis, que promoveram diligências nas cidades de Recife, Jaboatão dos Guararapes e Paulista, na Região Metropolitana do Recife. Foram expedidos 34 mandados de busca e apreensão (dos quais 23 foram cumpridos), e 44 mandados de prisão preventiva (31 cumpridos). Ainda foram cumpridos seis de oito mandados de busca e apreensão de menor, além de mais 3 prisões e 2 apreensões “extra”.

“A cidade era conhecida como a cidade do medo. Esperamos que agora Timbaúba possa viver um Novo Tempo”, anuncia o delegado. Os envolvidos responderão por homicídios, tentativa de homicídios, roubo qualificado por emprego de armas de fogo e violência, porte ilegal de arma de fogo, comércio ilegal de armas de fogo e munições, tráfico de drogas e organização criminosa.

Veja também

ImunizaSUS capacitará profissionais de saúde para vacinação
Saúde

ImunizaSUS capacitará profissionais de saúde para vacinação

Ao menos cinco mortos em incêndio na maior fábrica de vacinas do mundo, na Índia
VÍTIMAS

Ao menos cinco mortos em incêndio na maior fábrica de vacinas do mundo, na Índia