Polícia pede apoio da Justiça para combater crime organizado em PE

Quadrilhas fazem uso de armas de guerra e agem também em outras regiões do Brasil, diz o chefe da Polícia Civil, Antônio Barros

Agência de Trabalho de PaulistaAgência de Trabalho de Paulista - Foto: Divulgação/Prefeitura do Paulista

 

A Polícia Civil vai pedir apoio a Justiça para combater o crime organizado, com a criação de um juizado especial. Durante uma coletiva de imprensa realizada no Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), no bairro de Afogados, na Zona Oeste do Recife, na última quarta-feira (2), o chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Antônio Barros, revelou que os armamentos utilizados pelas quadrilhas que praticam assaltos a bancos em Pernambuco são do mesmo calibre dos utilizados pelos Exércitos do Brasil e dos Estados Unidos.

O uso de armas de guerra, segundo ele, evidencia que estão em atuação em Pernambuco quadrilhas organizadas que agem em todo o País, não apenas no Estado. Para o delegado Antônio Barros, a instalação da Vara de Combate a Crimes Organizados é essencial para a consolidação da força-tarefa criada em Pernambuco para combater os assaltos a bancos. " A Vara já foi criada e estamos esperando a decisão do poder judiciário para sua instalação. Precisamos da instalação da vara tendo um juiz especializado na matéria", destacou.

O tema discutido na reunião do Pacto Pela Vida desta quinta-feira (3), na sede da Secretaria de Defesa Social. No Depatri, será realizada, também nesta quinta, uma reunião com todas as sete equipes da força-tarefa para alinhamento do trabalho que deverá ser desenvolvido a partir de agora.

O anúncio de ampliação de três para sete as equipes de investigação de roubos e furtos qualificados a banco e carro-forte Plano de Combate foi efetivado por meio de portaria, com data do dia 1º. O delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos, Paulo Berenguer, continua à frente da coordenação da força-tarefa.

Novos crimes
Moradores de Gameleira, cidade da Mata Sul do Estado, começaram o dia de finados em clima de terror. A população local foi acordada com barulho da ação de criminosos que explodiram as agências dos bancos do Brasil e do Bradesco, na madrugada da última quarta-feira (2). Na fuga, os criminosos espalharam grampos na via e efetuaram disparos, mas não houve feridos.

Testemunhas informaram que eles fugiram pela BR-101 e atearam fogo em uma caminhonete. Policiais militares do 10º Batalhão, que fica sediado em Palmares, foram acionados. Além dos bancos, uma farmácia e um supermercado também foram alvos.

Até a última segunda-feira, a Secretaria de Defesa Social havia contabilizado 144 investidas contra bancos, enquanto o Sindicato dos Bancários garante que o crime já alcançou 248 registros.

Segundo depoimentos de moradores, a insegurança é grande. De acordo com um comerciante, que não quis se identificar, a delegacia da cidade está fechada até para registro de boletim de ocorrência, precisando a população se deslocar para Palmares, distante uma hora de Gameleira.

Durante a ação dos criminosos, cerca de 20 homens fortemente armados, a população ficou acuada dentro das casas. “Quando começou, era umas 3 da manhã, de repente ouvi tiros. Depois escutei um estrondo. Foi mais de meia hora de bombas e tiros”, detalhou ele.

 

Veja também

Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por Covid-19
Coronavírus

Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por Covid-19

Pernambuco registra 157 novos casos e 10 óbitos nas últimas 24h
Coronavírus

Pernambuco registra 157 novos casos e 10 óbitos nas últimas 24h