Polícia prende mais cinco suspeitos de tentativa de assalto a banco no Ceará

Três homens e duas mulheres foram detidos nas imediações de Milagres. Segundo a polícia, eles eram parentes e amigos dos suspeitos de participarem do assalto, e iriam resgatar outros envolvidos

Marcas de sangue nas calçadas próximas ao local dos assaltos na cidade de Milagres, no Cariri cearenseMarcas de sangue nas calçadas próximas ao local dos assaltos na cidade de Milagres, no Cariri cearense - Foto: Farias Júnior/ Rádio O POVO/CBN Cariri

A Secretaria da Segurança do Ceará anunciou neste sábado (8) que prendeu mais cinco suspeitos de participar de uma tentativa de assalto a banco em Milagres, a 480 km de Fortaleza, na última sexta-feira (7), que terminou com 14 mortos - oito suspeitos e seis reféns. Cinco das vítimas foram sepultadas neste sábado (8) em Serra Talhada (PE). 

Os presos, três homens e duas mulheres, foram detidos na BR-116, nas imediações de Milagres, cidade em que ocorreu o crime. Segundo a polícia, eles eram parentes e amigos dos suspeitos de participarem do assalto, e estavam circulando em um carro a fim de resgatar outros envolvidos, que estariam escondidos pela região.

Um dos detidos, Erivan Jesus da Luz, foi indiciado sob suspeita de latrocínio, já que há indícios de que ele participou da ação. Outros três eram parentes de Mackson Junior Serafim da Silva, 26, que foi morto durante o confronto com a polícia. Uma arma também foi apreendida no veículo.

A investigação sobre o assalto continua em andamento. Ainda não se sabe de onde partiram os disparos que vitimaram os reféns, que eram de duas famílias diferentes e foram detidos pelos bandidos em um acesso à BR-116. A Polícia Civil informou que dará prioridade aos laudos cadavéricos e do local do crime, mas não há data prevista para sua conclusão.

Leia também:
Família pernambucana morta no Ceará é sepultada no Sertão
Família pernambucana é morta durante tentativa de assalto no Ceará


Entenda o crime
A tentativa de assalto a agências bancárias deixou na sexta-feira (7) ao menos 14 mortos após confronto de assaltantes com a polícia. O tiroteio se estendeu por mais de 20 minutos, por volta das 2h, quando cerca de 30 homens armados foram abordados por policiais ao se aproximarem de agências do Banco do Brasil e do Bradesco. O grupo havia roubado um caminhão – que foi deixado atravessado na BR-116 –, abordado carros no caminho e levado passageiros como reféns

Grupo havia roubado um caminhão que foi deixado atravessado na BR-116

Grupo havia roubado um caminhão que foi deixado atravessado na BR-116 - Foto: Farias Júnior/ Rádio O POVO/CBN Cariri

O prefeito de Milagres, Lielson Landim (PDT), disse que, em meio à troca de tiros com a polícia, os reféns foram mortos pelos próprios assaltantes. As circunstâncias, no entanto, ainda não estão claras. Segundo a polícia, cinco suspeitos morreram no tiroteio quando tentavam acessar as agências, dois foram baleados e morreram no hospital e um oitavo morreu após fugir, em confronto em Barro, a 24 km.

Nos últimos três meses, episódios semelhantes deixaram um saldo de ao menos 27 suspeitos mortos em confronto com a polícia após assaltos a bancos no Maranhão, Alagoas, Sergipe e Rio Grande do Sul. Dos seis reféns mortos no ataque em Milagres, cinco eram da mesma família.

O empresário João Batista Magalhães, 46, havia deixado Serra Talhada, onde vive em Pernambuco, na noite de quinta (6), acompanhado do filho Vinícius Magalhães, de 14 anos, para buscar parentes no aeroporto de Juazeiro do Norte, já no Ceará. Eles chegavam de São Paulo. No retorno, foram abordados pelos bandidos em um acesso à BR-116, em Milagres, e viraram reféns. Estavam no carro, além de Magalhães e seu filho, sua cunhada, Claudineide Campos, de 41, seu concunhado Cícero Tenório, 60, e o filho do casal, Gustavo Tenório, de 13 anos. Todos morreram.

O empresário João Batista Magalhães, 46, tinha saído de Serra Talhada com o filho Vinícius Magalhães, de 14 anos, para buscar parentes no aeroporto de Juazeiro do Norte

João Batista Magalhães tinha saído de Serra Talhada com o filho Vinícius Magalhães, de 14 anos, para buscar parentes no aeroporto de Juazeiro do Norte - Foto: Reprodução

O parente de uma das vítimas disse que outros reféns conseguiram sobreviver ao ataque. Um deles teria se fingido de morto no tiroteio. "Ele foi sequestrado junto com a sexta vítima, uma mulher. Foram dois carros sequestrados, o da minha família e o dessas outras pessoas. Esse homem se fingiu de morto, mas a mulher morreu", afirmou à Folha João Daniel Neto, primo de Magalhães. "Ainda não recebemos informações da polícia sobre como teriam ocorrido as mortes."

O pai do sobrevivente e da mulher que morreu também estava em um dos carros, mas acabou liberado pelos bandidos antes da chegada da polícia porque passou mal.

Investigação
O titular da pasta, André Costa, afirmou que a ação policial será investigada, mas que não se pode fazer um julgamento antecipado. "Houve uma troca de tiros. A informação preliminar que recebemos é que um dos criminosos presos acabou dizendo que matou pessoas que estavam no local e não eram da quadrilha. Mas toda informação é insuficiente", disse Costa. Segundo ele, foram presos três suspeitos – dois de manhã e um terceiro à tarde. 

O governador Camilo Santana (PT) disse que a ação policial teve a participação de polícias de quatro estados, Sergipe, Alagoas, Bahia e Ceará – inicialmente, o governo cearense havia informado que também houve participação da polícia pernambucana. O serviço de inteligência integrado havia identificado que haveria um assalto a banco no sul do Ceará, nas cidades de Milagres ou Missão Velha.

"O fato é que estavam preparados para assaltar dois bancos e não conseguiram assaltar", afirmou Santana. O governador do Ceará foi criticado por parentes e vizinhos das vítimas ao dizer também que "é estranho um refém de madrugada no banco", mas que "vamos aguardar essa investigação". Foram apreendidos explosivos, uma pistola 9 mm, um revólver calibre 38, uma arma calibre 12 e três veículos.

Veja também

Médicos são os primeiros vacinados com a dose de Oxford no Brasil
VACINAÇÃO

Médicos são os primeiros vacinados com a dose de Oxford no Brasil

Primeiras doses da vacina AstraZeneca/Oxford chegam a Pernambuco neste domingo
VACINAÇÃO

Primeiras doses da vacina AstraZeneca/Oxford chegam a Pernambuco neste domingo