Notícias

Polícia prende suspeito de vender munição para massacre de Suzano

O suspeito confessou ter vendido 20 munições ao comprador por R$ 200, que por sua vez revendeu o material por R$ 250

Homenagem às vítimas do ataque em SuzanoHomenagem às vítimas do ataque em Suzano - Foto: Nelson Almeida/AFP

A Polícia Civil prendeu nessa segunda-feira (6) mais um homem envolvido indiretamente no massacre ocorrido em março na escola estadual Raul Brasil, em Suzano (Grande SP).

Segundo a investigação, o suspeito teria vendido as munições usadas no crime para outro envolvido, preso na semana passada por suspeita de vender aos assassinos o revólver calibre 38 usado no ataque.

O suspeito confessou ter vendido 20 munições ao comprador por R$ 200, que por sua vez revendeu o material por R$ 250.

A polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa do suspeito, onde encontrou uma pistola 9 mm com numeração raspada, uma garrucha e diversas munições.

Leia também:
Mais de mil atingidos por massacre de Suzano aguardam apoio psicológico
Atiradores de Suzano compraram armas pelas redes sociais, diz MP


Outros quatro adultos já foram presos, e um menor apreendido, pelo envolvimento com o atentado à escola. Ao todo, dez pessoas morreram no massacre, incluindo os dois autores.

Veja também

Violência crescente no México: sete corpos são encontrados com sinais de violência no oeste do país
MÉXICO

Violência crescente no México: sete corpos são encontrados com sinais de violência no oeste do país

Milei abre frentes de conflito com sindicatos, movimentos sociais, Igreja e artistas
ARGENTINA

Milei abre frentes de conflito com sindicatos, movimentos sociais, Igreja e artistas