Vacinação

Policiais militares de Pernambuco começam a ser vacinados contra Covid-19

Nesta primeira etapa, foram disponibilizadas 1.221 doses da CoronaVac, que cobrem 7% do efetivo da corporação

Primeira remessa de doses recebidas pela PM cobre 7% do efetivoPrimeira remessa de doses recebidas pela PM cobre 7% do efetivo - Foto: Divulgação/PMPE

Começou, nesta quinta-feira (8), a vacinação de policiais militares de Pernambuco contra a Covid-19. Nesta primeira etapa, foram disponibilizadas para a corporação 1.221 doses da CoronaVac, ficando 450 para Recife e Região Metropolitana e 771 para as cidades do interior do Estado. A primeira remessa de imunizantes cobre 7% do efetivo, que é de cerca de 17 mil policiais.

De acordo com o porta-voz da corporação, tenente coronel Luiz Cláudio Brito, como não tem vacina para todo mundo, foram estabelecidos alguns critérios de prioridade, de acordo com o Programa Nacional de Imunização (PNI), conforme Nota Técnica 297 do Ministério da Saúde. "Quem está na rua diuturnamente, aquele que tem contato direto com a sociedade, é quem está sendo vacinado", disse.

Há 23 anos na corporação, o sargento Sandro Adriano da Silva, 46, foi um vacinados hoje. Ele conta que em dezembro do ano passado teve Covid-19. "Fiz os testes rápido e RT-PCR, ambos deram positivo. Tive todos os sintomas, exceto falta do paladar e do olfato", lembra. Com a chegada da vacina ele diz que se sente mais aliviado. "Me sinto mais seguro e confortável para lidar como o meu trabalho no dia a dia", comenta.

 

No Grande Recife, os postos de vacinação foram instalados no 1º BPM, em Olinda, no 6º BPM, em Jaboatão dos Guararapes, e 1º BPTran (Recife). "No interior do Estado será mais descentralizados ainda. Para isso pedimos o apoio da Secretaria de Saúde. Os municípios que sediam os batalhões vão receber as doses e chamar os pré-selecionados para que possam ir ao posto de saúde local se vacinar", explicou.

Seguindo recomendação do Ministério da Saúde, todas as doses recebidas serão usadas de imediato. Por enquanto, não há data definida para a segunda dose ou para vacinar toda a corporação. "A segunda dose pode ser aplicada de 21 a 28 dias após a primeira dose. Mesmo que tivéssemos recebido 17 mil doses estaria preocupado onde acondicionar tanta vacina. Ela está vindo por etapa e a gente vai vacinar todo mundo o mais breve possível", disse o tenente coronel.

Recusas
No primeiro dia de campanha, quatro policiais se recusaram a serem vacinados. Segundo a corporação, nestes casos, será respeitada a decisão do policial. "Quem não tiver interesse não vamos obrigar, mas ele vai assinar um termo de recusa", explica coronel Brito. Ele ressalta que é importante ouvir o que preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS).

"Estamos vendo o exemplo dos EUA vacinando quem tem 16 anos. O Brasil está correndo contra o tempo e vai alcançar a sua meta. Infelizmente falta vacina para todo mundo. Então, se chegou para você aproveite a oportunidade e se vacine. É o ideal para vencer esse inimigo invisível chamado coronavírus", orienta o porta-voz da PM. 

Veja também

Dia Mundial da Voz: Fonoaudióloga alerta sobre cuidados fundamentais
Educa Mais

Dia Mundial da Voz: Fonoaudióloga alerta sobre cuidados fundamentais

Ministério da Agricultura paga Garantia-Safra a 25 mil agricultores familiares
Benefício

Ministério da Agricultura paga Garantia-Safra a 25 mil agricultores familiares