Por conta de dívidas, Náutico sofre punição e sub-15 joga com apenas 10 atletas

Timbu agora está impossibilitado de inscrever novos atletas em competições enquanto não quitar os débitos

Diógenes Braga, vice-presidente do clubeDiógenes Braga, vice-presidente do clube - Foto: Léo Lemos/Náutico

Embora ainda comemorando o título da Série C 2019, o Náutico atravessa um momento delicado no aspecto financeiro. Por conta de dívidas antigas, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) puniu o clube com a proibição da inscrição de novos atletas em todas as categorias. No caso da base, o Timbu não conseguiu inscrever peças suficientes no sub-15, chegando a atuar com 10 jogadores. Na Copa São Paulo de Futebol Júnior, os alvirrubros não tiveram condições de regularizar todos os nomes desejados. Boa parte do débito é com o ex-treinador do time, Milton Cruz.

"Pagamos aproximadamente R$ 100 mil de parcelas em atraso, mas foi nos passado que só vamos destravar o sistema se a gente encerrar essa ação. Só que isso passa por um valor acima dos R$ 300 mil. Não temos esse dinheiro. Como atrasou, o acordo foi desfeito. Queremos reativá-lo. Até mandei mensagem para Milton dizendo que não nos falta caráter, mas sim dinheiro", afirmou o vice-presidente de futebol do clube, Diógenes Braga.

Ainda de acordo com o dirigente, o clube tentou contato com o treinador e com os advogados do profissional, mas não obteve êxito. "Fiz um apelo a Milton, lembrando da quantidade de atletas que ele revelou no São Paulo. Ele entende o sonho de um garoto virar jogador de futebol e isso (ação) está impedindo que alguns jovens consigam. Tentamos contato com os advogados e com ele, mas não houve resposta”, lamentou.

Leia também:
Náutico lança música e ação para impulsionar quadro de sócios
Náutico terá emblema do título da Série C na camisa de 2020

Veja também

Tribunal que julga impeachment de Witzel ouvirá 29 testemunhas
Brasil

Tribunal que julga impeachment de Witzel ouvirá 29 testemunhas

Quase 90% do desmatamento da Amazônia em Mato Grosso nos últimos 12 anos foi ilegal
Meio ambiente

Quase 90% do desmatamento da Amazônia em MT nos últimos 12 anos foi ilegal