Coronavírus

Prefeito de Itajaí, em SC, sugere aplicações de ozônio no ânus para combater Covid-19

Em transmissão ao vivo, Volnei Morastoni (MDB) disse que a gestão municipal submeteu a proposta de oferecer as aplicações de ozônio de forma gratuita à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa

Prefeito de Itajaí (SC), Volnei Morastoni (MDB)Prefeito de Itajaí (SC), Volnei Morastoni (MDB) - Foto: Reprodução/Facebook

O prefeito de Itajaí, no interior de Santa Catarina, Volnei Morastoni (MDB), causou polêmica nas redes sociais após sugerir, em transmissão ao vivo feita pela internet, que a cidade deve passar a oferecer aplicações de ozônio por via retal para combater a Covid-19. Segundo o prefeito, trata-se de um tratamento que deve ser feito por dez dias seguidos, com aplicações no ânus que serão custeadas pela prefeitura. Não há estudos científicos que comprovem a eficácia da técnica no tratamento de pacientes infectados pelo coronavírus. 

Na transmissão, Morastoni disse que a gestão municipal, que já aposta em métodos alternativos, como o uso da cânfora, submeteu à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) uma proposta para que o tratamento, sem eficácia comprovada, seja regulamentado e oferecido de forma gratuita à população. "É uma aplicação simples, rápida, de dois, três minutinhos por dia. Provavelmente vai ser uma aplicação via retal, que é uma aplicação rapidíssima, num catéter fininho. Essa aplicação dá um resultado excelente", afirmou o prefeito, que também é médico. 

A ozonioterapia é um tratamento terapêutico que consiste na aplicação de uma mistura de gases oxigênio e ozônio por diversas vias; os defensores das aplicações de ozônio alegam que o tratamento pode aumentar a imunidade. No Brasil, a terapia ainda é considerada um tratamento experimental. Segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), a técnica não possui garantia de eficácia e segurança. Atualmente, o CFM proíbe aos médicos a prescrição desse tipo de tratamento em consultórios e hospitais, exceto em casos nos quais os pacientes são submetidos a estudos experimentais. Tais estudos só podem ser executados com a permissão da Conep. 

A prefeitura de Itajaí também tem distribuído comprimidos de Ivermectina à população. Segundo a gestão municipal, foram distribuídos, até o dia 31 de julho, 1.584.455 comprimidos do medicamento, que não possui eficácia comprovada na prevenção ou no tratamento de pacientes com Covid-19.

Segundo o censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010, Itajaí, localizada a 97km de Florianópolis, possui 183.373 habitantes. No último boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura do município nesta segunda-feira (3), a cidade registrava 3.648 casos confirmados e 105 mortes causadas pela Covid-19.

Veja também

Companhias aéreas suspendem voos para Israel
Faixa de Gaza

Companhias aéreas suspendem voos para Israel

Se contrato com Pfizer fosse aceito em agosto, Brasil teria 18,5 milhões de doses
Saúde

Se contrato com Pfizer fosse aceito em agosto, Brasil teria 18,5 milhões de doses