Ficalização

Prefeitura de Olinda fiscaliza praias e bairros para cumprimento de decreto

Durante a operação, equipes orientaram a população e retiraram pessoas que faziam mergulho

Em Casa Caiada, os agentes de segurança retiram as pessoas que fazem mergulhoEm Casa Caiada, os agentes de segurança retiram as pessoas que fazem mergulho - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Em reforço ao cumprimento dos decretos estaduais na cidade, a Prefeitura de Olinda fez uma ação conjunta, neste domingo (5), numa operação integrada de combate ao coronavírus. A medida teve como objetivo deter os focos de aglomeração, ainda proibidas pela Governo de Pernambuco, em contenção à pandemia. Os agentes de segurança do município e  do Estado fizeram a fiscalização, orientação e apreensão de produtos vendidos irregularmente nos bairros de Caixa D’Água, Peixinhos e nas praias que compõem a orla da cidade.

A operação ocorreu em dois turnos: pela manhã, das 9h às 12h, nos bairros de Aguazinha, Caixa D’Água, Peixinhos e praias; e à tarde, das 14h, com repetição nas praias e nos bairros da Vila Popular e Jardim Brasil. “A operação integrada de combate ao coronavírus tem como objetivo dissipar os pontos de aglomeração. A gente fez esse roteiro: Fomos à Caixa d’água, organizamos a feira de Caixa D'água, e depois seguimos para a feira do troca, em Peixinhos. Ali, a gente fez a apreensão de materiais sem nota, cigarro, algumas motos sem placa também, junto com o pessoal do trânsito.”, explicou o comandante da Guarda Municipal de Olinda, Matheus Barbosa.

Depois dos dois bairros, a equipe - formada por 24 guardas municipais, três agentes de trânsito e sete de controle urbano, e dois policiais militares -, seguiu para a orla do município. Apesar do tempo fechado, boa parte das praias estava ocupada por banhistas, praticantes de esportes coletivos e vendedores irregulares. “A gente apreende a mercadoria. Quando isso ocorre, a pessoa leva um termo de apreensão, paga uma multa (caso haja necessidade), apresenta a nota na Secretaria de Controle Urbano e pode ter ser material de volta”, comentou o comandante. 

Em Olinda, a orla só está liberada para o uso do calçadão, da ciclovia, trechos da praia para atividades físicas individuais, sem aglomeração, e com máscaras. Embora o decreto municipal estabeleça essas regras, pessoas arriscavam com mergulhos, práticas esportivas coletivas e sem máscara. Durante a passagem da Folha de Pernambuco pelos locais, não havia aglomeração na praia dos Milagres e em Bairro Novo, enquanto em Casa Caiada, o número de banhistas era alto.

Recife

No Recife, que só permite atividades individuais, sem aglomeração e com máscara, grupos de pessoas entravam na água, faziam práticas coletivas - como futebol de areia, vôlei e corridas conjuntas -, e também piquenique. Durante os trechos das praias de Boa Viagem e Pina, na Zona Sul, havia guardas municipais e policiais militares, mas a movimentação permanecia intensa nos locais. Em um desses lugares, grupos de adolescentes se aglomeravam para fazer fotos entre as árvores das orlas.

Veja também

Mamografias serão retomadas na cidade de Olinda a partir desta segunda-feira (3)
Exame

Mamografias serão retomadas na cidade de Olinda a partir desta segunda-feira (3)

Covid-19 matou 94,1 mil pessoas no Brasil desde o início da pandemia
Coronavírus

Covid-19 matou 94,1 mil pessoas no Brasil desde o início da pandemia