Prefeitura do Rio abre leitos no hospital de campanha no Riocentro

Unidade temporária foi montada para receber pacientes infectados com Covid-19

Leitos Rio de Janeiro. Leitos Rio de Janeiro.  - Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio de Janeiro

A prefeitura do Rio de Janeiro inaugurou hoje (1º) os primeiros 100 leitos dos 500 previstos para o hospital de campanha montado no centro de convenções Riocentro, na zona oeste da cidade. A unidade temporária foi montada para receber pacientes infectados com Covid-19.

Dos 100 leitos abertos hoje, 20 são de terapia intensiva (UTI) e 80 de enfermaria. A previsão, segundo o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, é que os 400 leitos restantes (80 de UTI e 320 de enfermaria) sejam abertos assim que chegarem, da China, 300 respiradores comprados pelo município. A previsão é que esse equipamento chegue até o fim da próxima semana.

Leia também:
Hospitais de campanha do Recife ganham reforço de novos profissionais
Pernambuco prevê pico da Covid-19 nos próximos 15 dias, com muitas mortes
Paraguai já não tem pacientes na UTI por coronavírus

Além da inauguração dos leitos restantes, os respiradores permitirão, de acordo com o prefeito, que sejam ampliadas vagas em outros hospitais da rede, inclusive o Ronaldo Gazolla, que se tornou referência no tratamento da doença no município.


Estado
Esse é o segundo hospital de campanha inaugurado na cidade do Rio de Janeiro. O primeiro foi inaugurado, também de forma parcial, no bairro do Leblon. A unidade do Leblon, que terá 200 leitos (dos quais 100 são de UTI), começou a funcionar com apenas 30.

Outros 1.600 leitos estão previstos em mais oito hospitais de campanha, que deverão ser inaugurados até o fim do mês pelo governo do estado. O próximo a ser inaugurado deve ser a unidade do Maracanã.



 

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Hyundai e Petz fazem parceria para incentivar adoção responsável de animais
Folha Pet

Hyundai e Petz fazem parceria para incentivar adoção responsável de animais

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020
SÃO PAULO

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020