Notícias

Premiê japonês diz que trabalha com realização 'completa' da Olimpíada

"O governo mantém a posição de que as Olimpíadas serão realizadas integralmente no verão do próximo ano como um sinal da vitória completa da humanidade contra o coronavírus", disse Shinzo Abe

Olimpíada acontecerá em 2021Olimpíada acontecerá em 2021 - Foto: Fabrice Coffrini/AFP

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou nesta segunda-feira (25) que a ideia do governo é realizar a Olimpíada de Tóquio, adiada para julho do ano que vem, de "maneira completa". A afirmação foi dada durante entrevista coletiva em que Abe decretou o fim do estado de emergência, causado pela pandemia de coronavírus, no país asiático.

"O governo mantém a posição de que as Olimpíadas serão realizadas integralmente no verão do próximo ano como um sinal da vitória completa da humanidade contra o coronavírus", disse o premiê. O posicionamento de Abe vem no momento em que alguns eventos esportivos - como o Campeonato Alemão de futebol - estão sendo retomados sem a presença de público, algo defendido para ocorrer também em 2021.

Leia também:
Premiê japonês suspende estado de emergência em todo país
Estudo relaciona jogo Liverpool-Atlético de Madrid a 41 mortes por coronavírus
De olho nas Olimpíadas, atletas brasileiras concorrem a patrocínio

A ideia, no entanto, é rechaçada pelas autoridades japonesas, que querem a realização dos Jogos Olímpicos sem restrições. Na entrevista, Abe ainda ressaltou a necessidade da existência de uma vacina contra a Covid-19 nos próximos meses para garantir a segurança de todos os envolvidos. "Eu acho que é extremamente importante que os medicamentos e a vacina sejam desenvolvidos", finalizou.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

Biden pede que americanos enfrentem 'lobby das armas'
Estados Unidos

Biden pede que americanos enfrentem 'lobby das armas'

China enfrenta novas denúncias de abusos, durante visita de comissária da ONU
Repressão a uigures

China enfrenta novas denúncias de abusos, durante visita de comissária da ONU