China

Presidente chinês se mantém firme com estratégia "zero covid" apesar do custo econômico

Segundo os números oficiais, a rígida política anticovid permitiu a China limitar a pouco mais de 5 mil o número de mortos desde o início da pandemia

Xi Jinping, presidente da ChinaXi Jinping, presidente da China - Foto: Aris Messinis/AFP

A política de "zero covid", que implica em confinamentos e em testes massivos da população, é custosa para a economia, advertiram, nesta sexta-feira (6), os especialistas, depois que o presidente Xi Jinping fez um pedido para proseguir com este caminho na China

Segundo os números oficiais, a rígida política anti-covid permitiu a China limitar a pouco mais de 5 mil o número de mortos desde o início da pandemia. 

Há um mês, os 25 milhões de habitantes de Xangai se encontram sob confinamento, devido a um surto epidêmico e os habitantes de Pequim podem ter o mesmo destino.

Esses confinamentos penalizam a economia e caso se generalize por todo país a realização de testes a cada 48 horas - como já fazem algumas cidades -, poderia custar à China até 2,3% de crescimento este ano, segundo o banco Nomura. 

No entanto, o presidente Xi Jinping pediu, nesta quinta-feira (5), para prosseguir com a política "zero covid" e "combater de forma clara" tudo aquilo que "questiona" essa estratégia, segundo a agência Xinhua. 

O poder comunista chinês está satisfeito com a sua estratégia sanitária, prova da superioridade de seu sistema político, em comparação com os milhões de mortos que a pandemia deixou no resto do mundo.

Veja também

Venezuela: oposição anuncia que conseguiu credenciar fiscais para mesas eleitorais
ELEIÇÕES

Venezuela: oposição anuncia que conseguiu credenciar fiscais para mesas eleitorais

Trump tenta impedir que Kamala Harris use recursos arrecadados por Biden
EUA

Trump tenta impedir que Kamala Harris use recursos arrecadados por Biden

Newsletter