Presidente executivo da Disney abre mão de salário em meio à pandemia

Iger conta com um salário de US$ 3 milhões e recebeu US$ 47,5 milhões em 2019

Bob Iger, presidente executivo da DisneyBob Iger, presidente executivo da Disney - Foto: Reprodução/Twitter

O presidente executivo da Disney, Bob Iger, abrirá mão de seu salário a partir do mês de abril, com o intuito de reduzir o impacto econômico que a crise do novo coronavírus está causando à empresa - a Disney já fechou seus parques de diversão e adiou estreias de filmes que seriam lançados nas próximas semanas.

Iger, que já foi CEO da empresa, conta com um salário de US$ 3 milhões e recebeu US$ 47,5 milhões em 2019. Além dele, o novo CEO, Bob Chapek, anunciou que seu salário será cortado em 50%, segundo informações divulgadas pelo site norte-americano The Hollywood Reporter.

Leia também:
Disney fechará parques de Orlando e Paris por causa do coronavírus
Disney fecha parques na Califórnia por novo coronavírus
Xuxa, doação milionária e Caetano em movimento para minimizar impactos do coronavírus

Todos os vice-presidentes da empresa terão seus proventos reduzidos em 20%, e os vice-presidentes sênior receberão 25% a menos. Os vice-presidentes executivos e aqueles que ocupam cargos acima desta posição terão abatimento de 30% em seus salários.

"Enquanto navegamos por essas águas desconhecidas, estamos pedindo a colaboração de vocês e, como sempre, você está enfrentando o desafio e agradecemos seu apoio. Sua dedicação e resiliência durante esse período difícil são verdadeiramente inspiradoras, e isso me dá uma confiança renovada de que passaremos por essa crise ainda mais fortes do que antes", diz Chapek em comunicado ao jornal.

 

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Fiocruz entrega 2,2 milhões de doses de vacinas ao PNI
IMUNIZANTE

Fiocruz entrega 2,2 milhões de doses de vacinas ao PNI

Biden afirma que novas restrições serão impostas nos EUA em função da Covid-19
VARIANTE DELTA

Biden afirma que novas restrições serão impostas nos EUA em função da Covid-19