Notícias

Preso grupo que assaltava empresários no Recife e Região Metropolitana

Os suspeitos realizavam roubos na Região Metropolitana e vendiam os objetos no Centro do Recife

O delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos, João Leonardo detalhou o casoO delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos, João Leonardo detalhou o caso - Foto: Divulgação/Polícia Civil

Uma organização criminosa comandada por um presidiário do Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife, foi desarticulada durante a operação Mercenários, deflagrada pela Polícia Civil de Pernambuco. Os suspeitos realizavam assaltos a empresários na Região Metropolitana e vendiam os objetos no Centro do Recife.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos, João Leonardo, os suspeitos Eduardo dos Santos, 38; André Lucas Ferreira Diogo, 34; Ednaldo Alexandro dos Santos, 30; e Zaqueu José da Silva, 29, presos no dia 26 de abril, atuavam sob o comando de Wellington Marcolino da Silva, vulgo Mulambudo, 38 anos, que cumpre prisão por receptação e porte de arma de fogo no presídio Frei Damião de Bozzano, no Complexo Prisional do Curado.

Leia também:
Preso grupo suspeito de mais de 50 roubos na Zona Sul do Recife
Homem é preso ao tentar subornar policiais rodoviários na BR-232


“As investigações começaram após o grupo cometer um assalto no dia 10 de março numa granja localizada em Aldeia, no município de Camaragibe. Eles analisavam a rotina das vítimas e passavam as informações para o líder do grupo Wellington, que, de dentro do presídio, articulava todas as ações”, afirmou.

Ainda de acordo com o delegado, o grupo era bastante violento e, no momento do assalto a granja, amarraram as vítimas e passaram cerca de 40 minutos no local com uma arma apontada nas cabeças delas. "Eles atuavam principalmente nos bairros de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife; em Prazeres, no município de Jaboatão dos Guararapes, além de Moreno, São Lourenço da Mata e Camaragibe, no Grande Recife, e os alvos eram empresários dessas áreas".

Na casa onde os suspeitos estavam, foram encontrados um revólver calibre 38 com 21 munições, além de cinco munições calibre .40, uma câmera fotográfica e 12 celulares, seis notebooks, sete televisores, dois monitores, duas alianças e, ainda, relógios, diversas correntes, anéis e pulseiras douradas. O delegado disse que o grupo fazia a divisão dos objetos roubados e costumava vendê-los nas proximidades do Cais de Santa Rita, na área central do Recife.

Os suspeitos foram autuados por associação criminosa, roubo e porte ilegal de arma e foram encaminhados para o Centro de Triagem em Abreu e Lima (Cotel), em Abreu  Lima. “As investigações continuam para que possamos identificar outros suspeitos de fazerem parte do bando”.

Veja também

Fechamento da Télam prejudicaria direito de argentinos à informação
Télam

Fechamento da Télam prejudicaria direito de argentinos à informação

Moda da Hermès desafía todos os elementos
Moda

Moda da Hermès desafía todos os elementos