Pressionado, Sport tenta fugir da Z4

Leão vem de duas derrotas e recebe o Santos na Ilha do Retiro. Se perder, pode terminar rodada mal

O presidente do TJPE, Leopoldo Raposo, e a mulher, Ismênia, no animado arraial em GravatáO presidente do TJPE, Leopoldo Raposo, e a mulher, Ismênia, no animado arraial em Gravatá - Foto: Divulgação

Nuvens carregadas ameaçam o clima na Praça da Bandeira. Vindo de duas derrotas, o Sport viu a corda apertar no pescoço e assim ficar a apenas dois pontos da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Com 30 pontos e na 14ª colocação, o time vacilou contra o concorrente direto Coritiba, no último domingo, e agora se vê obrigado a ignorar o status de candidato ao título do Santos neste sábado (24), às 18h30, na Ilha do Retiro, precisando da vitória a qualquer custo para não correr risco de encerrar a rodada na área de degola.

Caso vença o Peixe, o Leão não deverá evoluir na tábua de classificação, já que igualaria a pontuação do Coxa (13º), mas teria que tirar uma diferença de seis gols no saldo para tomar a posição. Porém, o triunfo além de distanciá-lo do bloco dos “rebaixáveis”, também diminui a meta atual de vencer cinco dos 12 jogos restantes. Com esse cálculo, a equipe atingiria os 45 pontos estipulados para se livrar do rebaixamento, podendo variar para um pouco mais ou um pouco menos.

Ciente da importância desta partida, o elenco leonino está concentrado desde quinta-feira, e ainda teve a semana completa para se preparar. Isso acabou rendendo quatro modificações na equipe titular em relação ao jogo contra os curitibanos, sendo uma por retorno de suspensão e três por questões clinicas, fazendo o Sport voltar a atuar praticamente com força máxima. Para conseguir trazer a segurança lá atrás, o goleiro Magrão cumpriu suspensão e retoma o posto. Diante do Coritiba, o reserva Agenor falhou feio no gol que determinou o placar final.

Na zaga e no setor de marcação, duas peças fundamentais estão de volta. Após pouco mais de 20 dias, o zagueiro Ronaldo Alves retorna com a moral de barrar o xerifão Durval. Nos quatro jogos em que ficou de fora, o Leão acabou tomando oito gols, sendo uma média de dois por partida. Nesta Série A, Ronaldo Alves atuou em oito partidas com quatro vitórias, três empates e uma derrota. “Esperamos fazer uma grande partida ao lado do nosso torcedor. Nosso fator casa é o nosso diferencial. Vivemos um momento de oscilação e precisamos ter equilíbrio para conseguir se afastar cada vez mais do Z-4”, comentou o defensor.

Um pouco mais à frente, o maior pilar leonino no setor de proteção à zaga e saída de bola: o volante Rithely. De molho nas últimas duas partidas por cansaço muscular, ele retorna no lugar do contestado Paulo Roberto, com Neto Moura permanecendo na função de segundo homem do meio de campo. A quarta e última alteração é a entrada de Rogério na função de homem de referência, já que o colombiano Luis Carlos Ruiz sofreu uma lesão na coxa esquerda e deve passar mais dez dias no estaleiro.

Magrão


Um dos maiores ídolos da história do Sport, o goleiro Magrão completará 600 jogos com a camisa do Sport, neste sábado. Aportando na Ilha do Retiro em 2005, o arqueiro conquistou seis títulos pernambucanos, uma Copa do Brasil, em 2008, e uma Copa do Nordeste, em 2014.

Com a marca, o rubro-negro passa a ser o atleta que mais atuou com a mesma camisa de um clube nordestino, superando Givanildo Oliveira, que tinha 599 partida pelo Santa Cruz.

Veja também

Saúde é o tema político de maior interesse no Google durante as eleições
Internet

Saúde é o tema político de maior interesse no Google durante as eleições

Colégio privado do Recife suspende aulas presenciais após alunos testarem positivo para Covid-19
Coronavírus

Colégio privado do Recife suspende aulas presenciais após alunos testarem positivo para Covid-19