Guerra na Ucrânia

Primeiro soldado russo julgado na Ucrânia por crimes de guerra é condenado à prisão perpétua

Shishimarin matou um civil de 62 anos nos primeiros dias da ofensiva russa no nordeste da Ucrânia

Soldado foi condenado por crimes de guerraSoldado foi condenado por crimes de guerra - Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP

Um tribunal de Kiev condenou, nesta segunda-feira (23), à prisão perpétua um soldado russo de 21 anos considerado culpado de crimes de guerra, no primeiro veredicto do tipo na Ucrânia desde o início da invasão ordenada por Moscou em 24 de fevereiro.

"O tribunal decidiu que (Vadim) Shishimarin é culpado e o condenou à prisão perpétua", anunciou o juiz Sergiy Agafonov. 

Vadim Shishimarin, um sargento russo, admitiu durante o julgamento que matou um civil de 62 anos nos primeiros dias da ofensiva russa no nordeste da Ucrânia.

A vítima empurrava uma bicicleta enquanto falava pelo telefone.

O tribunal também o declarou culpado de assassinato premeditado

"O assassinato foi cometido com intenção direta", disse o juiz Agafonov. "Shishimarin violou as leis e costumes da guerra", acrescentou o magistrado.

Em uma audiência na semana passada, Vadim Shishimarin declarou que lamentava o ocorrido e pediu "perdão" à viúva da vítima, ao mesmo tempo que justificou seus atos como "ordens recebidas". 

O soldado ouviu o veredicto em ucraniano no banco dos réus. Um intérprete traduziu a sentença para o russo.

De acordo com o MP ucraniano, o país abriu mais de 12.000 investigações por crimes de guerra desde o início da invasão russa.

Veja também

Bispo mexicano propõe 'pacto social' que inclua traficantes de drogas
México

Bispo mexicano propõe 'pacto social' que inclua traficantes de drogas

Festa do Carmo interdita faixa da Av. Dantas Barreto, no Centro do Recife
PADROEIRA DO RECIFE

Festa do Carmo interdita faixa da Av. Dantas Barreto, no Centro