realeza

Príncipe Harry inaugura Jogos Invictus na Holanda

esta foi a primeira aparição pública desde que decidiu deixar oficialmente a família real britânica há dois anos

Príncipe Harry na abertura dos Jogos Invictus, neste sábado (16)Príncipe Harry na abertura dos Jogos Invictus, neste sábado (16) - Foto: Mischa Shoemaker / ANP / AFP

O príncipe Harry da Inglaterra abriu, neste sábado (16), os Jogos Invictus, criados para soldados feridos e com deficiência, durante uma cerimônia marcada pela emoção na Holanda, na qual elogiou a bravura da seleção ucraniana.

Herry chegou ontem à capital holandesa Haia, acompanhado de sua esposa Meghan, sua primeira aparição pública desde que decidiu deixar oficialmente a família real britânica há dois anos e meio.

"Sua bravura e a decisão de vir e estar aqui esta noite não podem ser subestimadas", declarou o príncipe em referência à equipe ucraniana, sobre um palco com formato de bumerangue.

Na sexta-feira (15), a equipe ucraniana havia explicado ao príncipe que comparecera "a este evento mundial não apenas para mostrar a nossa força, mas para dizer nossa verdade", segundo contou o próprio Harry.

Tanto o primeiro-ministro Holandês, Mark Rutte, como a esposa de Harry, Meghan, manifestaram apoio à equipe ucraniana. "Slava Ukraini!" ("Glória à Ucrânia!", em tradução livre), exclamou Meghan no palco, ao que o público respondeu com uma sonora ovação.

Formada por 19 pessoas procedentes de uma Ucrânia devastada pela guerra, a equipe viajou à Holanda para participar dos Jogos, mas lamentou a ausência de uma participante, que está presa na cidade sitiada de Mariupol, no sul do país.

Idealizados pelo príncipe, que serviu no exército britânico no Afeganistão, os Jogos Invictus são um evento esportivo internacional, similar aos jogos paralímpicos, para soldados e veteranos de guerra feridos ou com necessidades especiais.

O evento, que acabou sendo adiado duas vezes por causa da pandemia, termina no dia 22 de abril. Mais de 500 participantes de 20 países participam das competições.

Veja também

Senadores dos EUA querem investigação a fundo sobre TikTok
Rede social

Senadores dos EUA querem investigação a fundo sobre TikTok

"Rei da cocaína" chega à Itália, após ser extraditado pelo Brasil
Tráfico

"Rei da cocaína" chega à Itália, após ser extraditado pelo Brasil