Procon-PE realiza pesquisa de materiais escolares

Em comparação com a pesquisa realizada em 2015, o produto que mais subiu de preço foi o giz de cera

A terceira fase já foi iniciada e deve ser concluída em 120 dias. Investimento total chega a R$ 15 milhõesA terceira fase já foi iniciada e deve ser concluída em 120 dias. Investimento total chega a R$ 15 milhões - Foto: Andréa Rêgo Barros/ PCR

Com a chegada do fim do ano e matrículas abertas em escolas, a procura por materiais escolares começam. O Procon-PE realizou pesquisa em diversas lojas localizadas no Recife e em Olinda. Em comparação com a pesquisa realizada em 2015, o produto que mais subiu de preço foi o giz de cera, que aumentou 55,67%.

De acordo com o Procon-PE, mais de 35 itens subiram de valor em relação ao ano passado. Além de comparar o preço com ano anterior, a pesquisa também demonstra que é preciso que os pais procurem vários estabelecimentos para encontrar o melhor preço. O levantamento com 80 itens foi realizado em oito estabelecimentos e demonstra variações de preço que chegam a superar os 100%.

O destaque ficou para massa de modelar, estojo com seis unidades da marca Acrilex de 180g. O produto foi encontrado por R$ 2,49 e por R$ 5,00. Uma variação de 100,80%.
Porém, comparando com 2015, foram poucos, mas alguns itens caíram de preços. A massa de modelar caiu 10,71%; a tesoura sem ponta, 19,95%; a agenda, 9,13% e a lancheira, 14%.

Em janeiro o órgão fará uma nova pesquisa para verificar se com a proximidade das aulas os preços baixaram ou aumentaram.

Veja também

Pai de Henry Borel vê 'estratégia' sobre relatos de supostas agressões sofridas por Monique
Caso Henry Borel

Pai de Henry Borel vê 'estratégia' sobre relatos de supostas agressões sofridas por Monique

Butantan pede à Anvisa autorização para início dos testes com a Butanvac, diz governo de São Paulo
Vacina

Butantan pede à Anvisa autorização para início dos testes com a Butanvac, diz governo de São Paulo