Justiça

Procuradoria pede pena máxima para autor de ataque que enlutou Parada do Orgulho em Oslo em 2022

Dominado por pedestres logo após o tiroteio, Matapur nunca comentou seus motivos e se declarou inocente

Jovens no local do atentado que ocorreu em OsloJovens no local do atentado que ocorreu em Oslo - Foto: Terje Pedersen / NTB / AFP

A Procuradoria norueguesa solicitou, nesta terça-feira (14), a pena máxima, 30 anos de prisão prorrogáveis indefinidamente, contra o autor do ataque mortal que enlutou a Parada do Orgulho em Oslo em 2022.

Zaniar Matapur, 44 anos, nascido na Noruega e de origem iraniana, é julgado por um tribunal de Oslo desde meados de março por "ato terrorista qualificado".

Na noite de 25 de junho de 2022, data em que seria realizada a Parada do Orgulho LGBTQIA+, ele abriu fogo contra dois bares da capital norueguesa, incluindo o London Pub, muito frequentado por esta comunidade, deixando dois mortos e nove feridos.

"Não há razão para que a pena máxima não possa ser aplicada em um caso como este", disse a promotora Aud Kinsarvik Gravås em sua acusação.

"Ele não demonstra nenhum remorso ou reflexão. Nenhuma mudança foi observada nele durante dois anos", destacou.

Dominado por pedestres logo após o tiroteio, Matapur – que jurou lealdade ao grupo Estado Islâmico – nunca comentou seus motivos e se declarou inocente.

Sua saúde mental dividiu os psiquiatras que estudaram o caso, mas a acusação considerou que ele era penalmente imputável no momento dos fatos e que atacou deliberadamente a comunidade homossexual.

A pena que seria imposta, com o mínimo de 20 anos, permitiria que ele ficasse detido enquanto fosse considerado perigoso para a sociedade.

O suposto mentor do ataque, Arfan Bhatti, de 46 anos, um conhecido islamista na Noruega, foi extraditado em 3 de maio para o Paquistão, onde se estabeleceu antes do ataque. Ele será julgado em outra data.

A última parte do julgamento, que durará até quinta-feira, será dedicada às alegações finais da defesa, uma vez que a decisão é esperada dentro de várias semanas.

Veja também

Espanha, Irlanda e Noruega reconhecerão a Palestina como Estado
GUERRA NO ORIENTE MÉDIO

Espanha, Irlanda e Noruega reconhecerão a Palestina como Estado

Vinte pessoas do voo da Singapore Airlines internadas na UTI
ACIDENTE AÉREO

Vinte pessoas do voo da Singapore Airlines internadas na UTI

Newsletter