Professores da UFPE aderem à paralisação desta terça

Data marca dia de mobilização nacional dos servidores públicos contra a PEC 241 e outros projetos de reforma do Governo Federal

Conselheiro Dirceu Rodolfo, do Tribunal de Contas do EstadoConselheiro Dirceu Rodolfo, do Tribunal de Contas do Estado - Foto: Vicente Luiz/TCE-PE/Divulgação

Os professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) aderem ao dia nacional de paralisação nesta terça-feira (25), em protesto contra a PEC 241. A instituição já suspendeu as atividades nesta segunda-feira (24) após um dia marcado por manifestações de alunos, professores e servidores no campus Recife, como o protesto na BR-101 e a ocupação do prédio do Centro de Educação.

O Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 241/16 prevê o congelamento dos investimentos públicos com Saúde e Educação pelos próximos 20 anos. A medida será votada em segundo turno nesta terça-feira na Câmara dos Deputados. Por isso, a data foi escolhida por servidores públicos municipais, estaduais e federais para manifestar o desagrado com a PEC e outros projetos do Governo Federal, como a a reforma trabalhista e a reforma previdenciária.

Leia mais:
UFPE suspende as aulas nesta segunda-feira
Centro de Educação da UFPE é ocupado por manifestantes contrários à PEC 241
Técnicos da UFPE deflagram greve em protesto contra PEC 241

Os docentes também se reunirão no próximo dia 3 de novembro em assembleia para decidir se irão aderir, também, à greve geral de 24 horas dos servidores públicos federais, convocada pelas centrais sindicais para o dia 9.

Trabalhadores técnicos administrativos da UFPE já deflagraram greve nesta segunda-feira (24), em manifestação contra a PEC 241. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais de Pernambuco (Sintufepe), a paralisação deve durar enquanto o projeto tramitar no Congresso. Trabalhadores do Hospital das Clínicas também podem aderir à greve.

Veja também

Professora da Unicap é acusada de racismo
Racismo

Professora da Unicap é acusada de racismo

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG
animais

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG