Profissionais da educação protestam no Recife

Em Pernambuco, professores com formação de nível superior recebem o mesmo que os formados somente no magistério

Profissionais da educação protestam na região central do RecifeProfissionais da educação protestam na região central do Recife - Foto: Divulgação / Sintepe

Trabalhadores em educação saíram em passeata pela região central do Recife na tarde da última quinta-feira (22). A manifestação teve como principal mote o plano de cargos e carreiras e a valorização dos profissionais, já que em Pernambuco, professores com formação de nível superior recebem o mesmo que os formados somente no magistério.

A passeata teve início às 16h na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), em Santo Amaro, até o Palácio do Campo das Princesas, ambos na região central do Recife. Uma comissão com oito integrantes do Sintepe e da categoria entraram no Palácio para apresentar ao secretário da Casa Civil, Roberto Franca, e ao assessor do governador, Marcelo Canuto, os motivos do protesto.

Leia também:
Cegonheiros voltam a protestar nas ruas do Recife
Sintepe reúne trabalhadores em educação em assembleia nesta quarta
Terreiro Axé Talabi repudia publicação de Michele Collins sobre Iemanjá


O piso salarial dos professores de magistério, que possuem somente formação de nível médio e são considerados a base da categoria, em Pernambuco é de R$ 2.455,35. Entretanto, profissionais com formação superior em licenciatura também recebem este mesmo valor, quando deveriam receber mais em função dos níveis a mais de formação, explicou a assessoria do sindicato.

Foi aprovada também, pela categoria, uma moção de repúdio contra a vereadora Michele Collins que, no dia 4 de fevereiro, fez um post em sua rede social informando um ato de intercessão contra a “maldição de Iemanjá”. A atitude foi considerada um ato de desrespeito e preconceito contra as religiões de matrizes africanas.

Veja também

Professora da Unicap é acusada de racismo
Racismo

Professora da Unicap é acusada de racismo

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG
animais

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG