Cirurgias

Lançado programa para ampliar cirurgias eletivas em Pernambuco

Até dezembro de 2022, a expectativa é de realizar cerca de 50 mil cirurgias a mais

Foto: Marconi Meireles/ Folha de Pernambuco

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e o secretário estadual de Saúde, André Longo, lançaram oficialmente o Opera Mais – Programa de Ampliação de Cirurgias Eletivas em Pernambuco, na manhã desta segunda-feira (18). O programa tem como objetivo possibilitar cirurgias aos pacientes que tiveram seus procedimentos adiados ou atrasados por conta da Covid-19. O investimento para a ação é de R$ 81,5 milhões.

Até dezembro de 2022, a expectativa é de realizar cerca de 50 mil cirurgias eletivas a mais que não ocorreram desde o início da pandemia. O programa já havia sido anunciado na última sexta-feira (15) no município do Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

“O objetivo é oferecer tratamentos cirúrgicos em tempo oportuno à população pernambucana e reduzir ao máximo o tempo de espera dessas cirurgias, evitando as complicações secundárias”, explicou o secretário André Longo durante a cerimônia de lançamento.

Em Pernambuco, durante os anos de 2020 e 2021, apenas na gestão estadual, mais de 40.000 cirurgias deixaram de ser realizadas. Mensalmente, a gestão estadual realiza em torno de 5.500 cirurgias eletivas. Com o programa, a expectativa é adicionar mais 3.293 cirurgias por mês, além da produção regular.  

Até dezembro de 2022, a expectativa é de realizar cerca de 50 mil cirurgias eletivas a mais que não ocorreram desde o início da pandemia. O programa já havia sido anunciado na última sexta-feira (15) no município do Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

“Mais de 18.800 pacientes já se encontram na fila de cirurgia nas diversas unidades estaduais. Essas pessoas já estão sendo chamadas pelo cadastro que existe hoje das unidades. Nós já tivemos cirurgias em várias unidades neste final de semana", destacou Longo.  

Para o governador Paulo Câmara, é o momento de equilibrar os números de cirurgias eletivas e dar oportunidade para os pacientes.

“As cirurgias eletivas, nos momentos mais críticos da pandemia, foram suspensas e essas suspensões eram necessárias naquele momento. Agora, precisamos tirar esse atraso. Há uma necessidade até o final de 2022 que a gente equilibre esses números e dê oportunidade para quem precisa de cirurgia. Com a publicação do edital, queremos ampliar isso e que haja o devido credenciamento das instituições privadas e filantrópicas e de todos aqueles que possam somar esforços”, pontuou o governador.

Eixos de atuação

De acordo com André Longo, três eixos de atuação são promovidos no Opera Mais.

“Participam os Hospitais da Rede Estadual sob a Administração Direta, como o Agamenon Magalhães, Getúlio Vargas, Barão de Lucena, entre outros; os Hospitais Administrados por Organizações Sociais de Saúde, além dos três metropolitanos, o Miguel Arraes, Pelópidas, Dom Helder, Mestre Vitalino e algumas unidades regionais e as unidades pernambucanas de atenção especializada, que são administradas por organizações sociais; e aquele terceiro eixo que é a abertura de um edital para credenciamento para a rede complementar. Todas as unidades privadas vão poder também participar deste chamamento que nós vamos estar lançando nesta semana”, afirmou.

Mensalmente, nos hospitais da Rede Estadual, a previsão é de mais 602 cirurgias. Nos Hospitais Administrados por Organizações Sociais, 1.117 e 1.574 vagas a mais para a rede complementar.

Aplicativo Opera Mais

Para facilitar a atualização dos dados cadastrais do paciente, até o final do mês de outubro, será lançado um aplicativo para o Programa Opera Mais.

"Estamos desenvolvendo um aplicativo que vai estar no ar até o final do mês para que as pessoas possam se ver nesse cadastro e fazer a atualização dos seus dados cadastrais. E também, num segundo momento, possam estar alimentando o sistema com alguma informação que seja importante como por exemplo, a necessidade de fazer uma outra cirurgia. A ideia é facilitar o caminho dessas pessoas para os exames pré-operatórios, para que a cirurgia seja realizada na data marcada”, acrescentou Longo.   

Público não deve ir às unidades para marcação 

Ainda de acordo com o secretário, o público não deve se dirigir às unidades neste momento. Cada serviço ou a Central de Regulação fará o contato, convocando para realização de consulta e exames pré-operatórios que permitam a realização do procedimento cirúrgico, assim como o acompanhamento pós-operatório.

Veja também

Equador reduz tarifas de combustível após fim de protestos indígenas"
Mundo

Equador reduz tarifas de combustível após fim de protestos indígenas"

Servidor que acusou perseguição de Ibama após caso das girafas importadas recupera cargo na justiça
Rio de Janeiro

Servidor que acusou perseguição de Ibama após caso das girafas importadas recupera cargo na justiça