Programação do FIG começa a ser desenhada

A lista de artistas habilitados a participar do Festival de Inverno de Garanhuns foi finalmente divulgada e, apesar de não ser definitiva no que diz respeito à grade, já adianta qual será a cara do evento

Festival de Inverno de Garanhuns começa a ganhar caraFestival de Inverno de Garanhuns começa a ganhar cara - Foto: Divulgação/Arte Lehi Henri

A Secretaria de Cultura de Pernambuco divulgou o resultado inicial das atrações que devem integrar o 29º Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), entre os dias 18 e 27 de julho. As propostas classificadas não estão automaticamente incluídas na grade do festival, mas a seleção será feita com base nesta lista de aprovados em diversas modalidades (Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Cultura Popular, Dança, Design e Moda, Fotografia, Gastronomia, Literatura, Música, Patrimônio, Teatro), e divulgada posteriormente.

As atrações musicais são geralmente as mais aguardadas pelo público, que lota os shows realizados nos diversos polos espalhados pela cidade do Agreste. Na lista prévia, os primeiros colocados foram a banda musical Saboeira, o cantor Claudionor Germano e o maestro Ademir Araújo, que se apresenta junto com a Orquestra Popular do Recife. Os três, como patrimônios vivos de Pernambuco, tiveram pontuação diferenciada em relação aos demais concorrentes.

Entre os nomes que obtiveram boa pontuação (e que, portanto, têm maior probabilidade de serem incluídos na grade final da programação) estão Elba Ramalho, Mundo Livre S/A, Odair José, Banda Eddie, Maciel Melo, Ira!, Otto, Francisco El Hombre, Céu, Ave Sangria, Jards Macalé, Karina Buhr, Fafá de Belém, Duda Beat, Diomedes Chinaski, Mariana Aydar, Devotos e Letrux.

Outros artistas também aprovados na lista, que tem 19 páginas, são Chico César, Virginia Rodrigues, Negra Li, Sandra de Sá, Barão Vermelho, Maciel Salu, Mombojó, Genival Lacerda, Luiz Paixão, Isaar, Isabella Taviani, Ná Ozetti e Luiz Tatit.

Leia também:
Jackson do Pandeiro será o homenageado do FIG 2019
Titãs faz show na noite de encerramento do FIG 2018
Reta final do Festival de Inverno de Garanhuns foi marcada por discussões em relação à causa LGBT


O cantor Jackson do Pandeiro, que estaria comemorando seu centenário neste ano, é o homenageado do FIG. "Vamos focar nele, é Jackson quem vai dar o tom da festa", adiantou o presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Marcelo Canuto. "A ideia é fazer uma festa bonita, com muita cor local mas com alcance nacional, mantendo a rede da cultura viva em Garanhuns".

Canuto não respondeu diretamente ao questionamento da reportagem sobre a seleção das atrações constantes na grade, diante das polêmicas no festival anterior (quando a peça "O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu", que fazia uma releitura atual de Cristo interpretada pela atriz transexual Renata Carvalho, depois de selecionada e divulgada na grade final, acabou sendo retirada por pressão de setores políticos e religiosos, causando revolta em outra parte do público, que considerou o ato como censura).

O gestor limitou-se a informar que os resultados anunciados são o principal critério a ser seguido, mas que a secretaria tem liberdade para escolher parte dos nomes. "O edital é um instrumento que, historicamente, há mais de uma década, é utilizado como uma forma de dar transparência e democratizar o processo. Então, nossa determinação é respeitar o edital, lembrando que ele prevê que 20% das contratações podem ser feitas à escolha da gestão", afirmou. Ainda de acordo com Canuto, por conta de dificuldades de logística, de agenda e dos custos do cachê, entre outros critérios, nem sempre é possível contratar determinados artistas.

Veja também

Pernambuco segue com campanha de vacinação contra Covid-19 com profissionais de saúde
Vacina em Pernambuco

Pernambuco segue com campanha de vacinação contra Covid-19 com profissionais de saúde

Governo autoriza ampliação de vagas do Mais Médicos em Manaus diante de crise na saúde
Mais médicos

Governo autoriza ampliação de vagas do Mais Médicos em Manaus diante de crise na saúde