Educação

Projeto cria programa de monitoria em Pernambuco com bolsas de até R$ 800

Serão selecionados monitores para aprendizagem e busca ativa, segundo a Secretaria de Educação

Sala de aula de escola estadual Sala de aula de escola estadual  - Foto: Kleyvson Santos/Secretaria de Educação e Esportes

Um projeto de lei enviado pela Secretaria de Educação e Esportes (SEE) à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) cria o Programa de Monitoria PE. 

Os monitores selecionados deverão começar a atuar nas escolas em 1º de outubro, a depender da aprovação dos deputados estaduais. De acordo com a secretaria, o programa se divide em Monitoria de Aprendizagem, com aulas de reforço para estudantes com dificuldades, e Monitoria de Busca Ativa, que pretende reduzir os índices de evasão escolar. 


A etapa de aprendizagem é voltada para estudantes dos nonos anos do Ensino Fundamental e terceiros anos do Ensino Médio da rede estadual. Eles receberão bolsas para o reforço de aprendizagem dos alunos com dificuldades. A bolsa terá um valor de R$ 200 mensais será para as disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa.

Os estudantes selecionados para serem monitores devem atuar junto aos alunos que apresentem dificuldades de aprendizagem nas escolas. Esses monitores serão acompanhados pela equipe pedagógica da unidade de ensino.

Dentre os critérios para participar do programa, estão: 
- ter média superior a 7; 
- ter disponibilidade de horário para dar suporte aos demais estudantes; 
- participar de reuniões com a equipe pedagógica da escola; 
- fazer planejamentos e estudar. 

As escolas farão seus processos seletivos para selecionar os estudantes que serão beneficiados com o programa de monitoria. 

Estão sendo disponibilizadas 1.008 vagas para Língua Portuguesa e 1.008 para Matemática no 9º ano do Ensino Fundamental; e 2.556 vagas para Língua Portuguesa, e 2.556 vagas para Matemática no 3º ano do Ensino Médio, totalizando 7.128 vagas de Monitoria em toda a rede estadual.

“Esse programa é muito importante neste momento de retomada das aulas presenciais. É uma forma de estimularmos os estudantes que estão com dificuldades de aprendizagem porque eles serão incentivados pelos amigos e também um incentivo maior para os que já têm boas notas e que passarão a receber a bolsa. Esta é, inclusive, uma forma de despertar a paixão pela docência nestes jovens”, afirmou o secretário de Educação e Esportes de Pernambuco, Marcelo Barros.

Secretário de Educação e Esportes de Pernambuco, Marcelo Barros (Foto: Hesíodo Góes)

Busca ativa
Já a Monitoria de Busca Ativa pretende diminuir a evasão escolar por meio de ações que serão desenvolvidas por um profissional indicado pelas escolas. O programa pretende proporcionar, dentro das escolas, um trabalho específico para resgatar os estudantes que apresentam dificuldades em frequentar as aulas. 

Escolas com tendência de evasão escolar espalhadas pelo Estado receberão profissionais que atuarão exclusivamente no resgate e na manutenção de permanência desses estudantes nas escolas.  

Levantamento realizado pela SEE em parceria com a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) identificou 248 escolas com essa tendência. 

Cada uma dessas unidades de ensino vai eleger este profissional, que deve atender a diferentes critérios, como: ser maior de 18 anos; conhecer e ter vínculo com as comunidades do entorno da escola; ser, preferencialmente, ex-aluno da unidade de ensino; e ser, preferencialmente, estudante de graduação. 

O Monitor de Busca Ativa deve ter disponibilidade para trabalhar 20 horas semanais, e ganhará uma bolsa mensal de R$ 800.

“Esse monitor vai trabalhar na identificação de estudantes com tendência de evasão, ou seja, os que faltam às aulas; vai contactar estudantes para motivá-los e solicitá-los a volta à escola; e se o estudante tiver problema de locomoção ou por algum outro motivo não puder ir à escola, esse profissional vai levar as atividades e outros materiais para este aluno”, frisou o secretário Marcelo Barros.

Veja também

Recife promove primeiro encontro com outras capitais para decidir sobre o CarnavalCarnaval

Recife promove primeiro encontro com outras capitais para decidir sobre o Carnaval

Comitê recomenda que réveillon no Rio de Janeiro seja mantidoPandemia

Comitê recomenda que réveillon no Rio de Janeiro seja mantido