A-A+

Projeto oferece aulões de reforço para estudantes da rede pública do Recife

Aulas terão início neste sábado (13) e contam com 2.974 inscritos; 35% é de alunos dos programas Travessia ou Educação de Jovens e Adultos (EJA)

Evento de lançamento da 3ª edição do Ondatec teve clima de amistoso, com festa e muita gritariaEvento de lançamento da 3ª edição do Ondatec teve clima de amistoso, com festa e muita gritaria - Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Em clima de amistoso, estudantes da rede municipal do Recife participaram na tarde desta segunda-feira (8) do lançamento da 3ª edição do Ondatec. O projeto oferece reforço de português e matemática para alunos que pretendem ingressar em alguma das seis escolas técnicas estaduais, presentes na capital pernambucana, e unidades do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE). De acordo com a Secretaria de Educação da PCR, cerca de dois mil alunos participaram a cerimônia.

Neste ano, 2.974 inscrições foram realizadas (65% de alunos do 9º ano e 35% oriundos dos programas Travessia ou Educação de Jovens e Adultos, o EJA). A aulas terão início no sábado (13) e seguem até o dia 23 de novembro. Os encontros são quinzenais, sempre aos sábados, das 8h às 12h. Os inscritos contam, também, com uma plataforma virtual, onde acessam os exercícios e podem tirar dúvidas com os professores.

Segundo o diretor pedagógico de Educação do Recife, Rogério Morais, as 85 turmas do 9º ano presentes na rede foram visitadas e receberam os primeiros estímulos. “Apresentamos o que é uma escola técnica e quais cursos podem escolher. Hoje em dia existe uma gama de cursos muito vasta: edificações, nutrição, saúde, games, redes e informática. Exibimos um vídeo das escolas e informações sobre o projeto, os motivando a se inscreverem”, explicou.

Leia também:
Infraestrutura, emprego e educação: desafios de Pernambuco para 2019
IFPE disponibilizará 350 vagas no Sisu 2019


O adolescente Felipe Rodrigues, 14 anos, espera ingressar em alguma unidade técnica. “Se passar no ETE, quero fazer Meio Ambiente, mas se for no IFPE será informática”, contou o estudante, que confessou ter dificuldades com as disciplinas de matemática e inglês. “Mas acho que se eu estudar, como devo, e com o apoio do Ondatec consigo passar em algum dos dois. Muitos amigos, que estão nas escolas técnicas, passaram pelo Ondatec e falaram que ajuda bastante.”

Professora de língua portuguesa, Waléria Carvalho atua na rede municipal durante a semana e também no projeto há dois anos. “Nós trabalhamos com questões voltadas para as provas que são aplicadas nos exames de seleção. Trazemos essa contextualização para que os alunos não se sintam distantes ou alheios e se adaptem à sistemática da prova”, revelou. Para ela, os alunos são determinados e querem estar preparados para o mundo competitivo.

Atualmente estudante da ETE Miguel Batista, Cássia Christine, 15 anos, frequentou os aulões e hoje estuda Comunicação Visual na unidade. “O Ondatec tem uma metodologia similar a que a gente utiliza na escola técnica. Por exemplo, o simulado é muito parecido com a prova que fiz hoje”, observa e lembra que o esforço também é o diferencial. “Não só dependam do Ondatec, pesquisem, assistam vídeo aulas e estudem mais. Também pesquisem antes de selecionar o curso”, aconselhou.

Veja também

Saúde promove Dia "D" de vacina antirrábica na fronteira com a Bolívia
Saúde

Saúde promove Dia "D" de vacina antirrábica na fronteira com a Bolívia

Talibãs exibem corpos de sequestradores em cidade no Afeganistão
Mundo

Talibãs exibem corpos de sequestradores em cidade no Afeganistão