A-A+

projeto

Projeto sociocultural pede socorro

Único projeto sociocultural da região, o Ciclonya, companhia de dança gratuita do bairro, está com dificuldades para se manter e pede socorro.

Projeto hoje funciona em espaço públicoProjeto hoje funciona em espaço público - Foto: divulgação

Os moradores da comunidade de Santa Luzia, no bairro da Torre, zona Oeste do Recife, andam triste com cena cultural na localidade. Isso porque, o único projeto sociocultural da região, o Ciclonya, companhia de dança gratuita do bairro, está com dificuldades para se manter e pede socorro.

Criado há mais de vinte anos com foco em jovens carentes em situação de vulnerabilidade do bairro da Torre e adjacência, o grupo de dança, que já atendeu mais de 200 pessoas no seu auge, hoje se restringe a pouco menos de vinte alunos. E o motivo para a queda no "ritmo"? A falta de condições financeiras e apoio cultural. Falta espaço físico - hoje eles se reúnem em praça pública e quando tem luz - e recursos financeiros para comprar de equipamentos entre outros itens.

“É um projeto importante porque tira os jovens da criminalidade e dá oportunidade de um novo caminho”, disse a moradora da região, Ana Katarina. O fundador e professor do projeto, Gerson Valentim, destaca que nos mais de vinte anos de projeto, já conseguiu retirar muitos adolescentes do mundo da criminalidade. "A ideia era que eles ocupassem a mente. Aprendessem uma arte que é a dançar e ocupassem o horário para não entrar no mundo do crime", destaca Gerson, que mantinha regras para manter os jovens como "frequência escolar, boas notas e não usufruir de drogas".

Valentim informa que os interessados em ajudar o projeto poderão ligar para o número 98788-3361 .

Veja também

China quer limitar a menos de 20% uso de energias fósseis até 2060
Mundo

China quer limitar a menos de 20% uso de energias fósseis até 2060

Covid volta a preocupar europeus, e governos já retomam restrições
Coronavírus

Covid volta a preocupar europeus, e governos já retomam restrições